Mariah Now é a sua maior fonte brasileira sobre a Mariah Carey. O site é totalmente dedicado para os fãs da Mariah. Acompanhe notícias, vídeos, entrevistas, participe de promoções e eventos. Todo conteúdo divulgado no site é criado ou editado por membros da equipe, qualquer conteúdo retirado daqui, mantenha seus devidos créditos. Somos apoiados pela Universal Music Brasil e pela Sony Music Brasil.

Primeiro veio a sua emancipação, agora Mariah Carey reivindicou um título para nomeá-la um pouco mais elevado, a “cantora indescritível”. Deve ter alguma ligação, certamente,e com  o mesmo um ar de mistério e intriga. Mas após o seu seu concerto na Qantas Credit Union Arena, dificilmente alguém ainda estaria querendo questionar outra coisa sobre a divina Miss M, que era o seu talento vocal.

Pareceu um pouco óbvio que a artista que mais vendeu disco de sua geração, que foi atormentada por vídeos virais que condenavam a sua condição vocal na oitava turnê mundial, ainda pode realmente cantar. As dúvidas sobre as suas condições vocais era tão grande quanto seus seios.

Mas desde o seu número de abertura, o com o hit Fantasy de 1995, a diva deixou as suas cinco oitavas falar por si só – e seus fãs devotos foram à loucura, pareciam aqueles fãs pré-adolescentes de Justin Bieber.

Andando como uma diva no palco e contida com suas curvas, Mariah Carey estava usando um vestido preto transparente de paetês, ela estava deslumbrante (mesmo que tenha se atrasado meia hora para subir ao palco).

Se divertindo no palco com o seu hit sexy, Touch My Body, não havia dúvida de que Mariah Carey estava vendendo seu peixe. Estava risonha, feliz e solteira novamente. Sim, Mariah Carey estava dando o seu melhor,  levando todos à loucura. . “Como vocês estão, Sydney? … Eu estou me sentindo muito bem”, exclamou!

Ela também deixou a multidão se sentindo muito bem quando ela cantou um outro grande hit, Emotions, onde ela estava se divertindo no palco, mandando beijos e acenando com uma criança. Logo após, era a hora de mudar de roupa, porque, para qualquer diva, só é permitido “transpirar” no máximo em três músicas, então ela saiu do palco para vestir algo possivelmente confortável e deixou os backing vocals terem seu momento de glória e valerem a pena o dinheiro investido neles.

Bem, foi uma pequena pausa, então Mariah retornou ao palco usando um  vestido rosa choque e ainda mais apertado que o primeiro – era tão apertado que ela precisou de ajuda para subir na calda do piano. A multidão foi solidária a Mariah após ela fazer  uma declaração bem pessoal.

“Bom, talvez eu possa falar a verdade para vocês. Eu estava me sentindo um pouco para baixo antes do show e vocês me animaram. Eu apenas quero fazer o show para as pessoas que realmente se importam com isto aqui, quero ouvir palavras que sei que são reais.”

Então, é quando as começam a aparecer as primeiras manchas ásperas no concerto – ironicamente ela fez isto em seu hit de 1997, My All. Cantando em um tom mais grave, parece que ela tenha mais confiança ao longo dos anos até encontrar o ponto certo para cantar esta música, então Carey reinou e dirigiu-se para um lugar mais alto, onde somente ela consegue voar.

Outro número bem estranho foi quando ela saiu no meio da multidão  cantando “Are you thirsty?” (ela falou tão baixinho que alguém do meu lado achou que ela estava cantando “Feliz aniversário”). Mas ainda assim, ela estava protegida por uma dúzia de seguranças, que provavelmente nos assustaríamos com o ‘pequeno almoço’ que eles deviam ter feito pela manhã.  Ela estava encarnando o seu personagem.

Mas se houve alguma desvantagem real para este concerto, não entanto, não foi por parte dela, diferente do murmurinho na imprensa sobre o seu primeiro show, mas sim para produção barata ao seu redor, não condizente com uma artista de  tamanho status. Aquele pássaro que viveu engaiolado durante o seu casamento com Tommy Mottola, ex-super poderoso da Sony, trilhou os caminhos da liberdade (tenha estranhamente tenha tido um possível relacionamento no passado com o rapper Eminem, quem ela debochou em uma das canções do concerto, Obssessed).

Mas mesmo em seu estado de loucura, Mariah sempre preferiu se aquela princesa do pop que se banha de champanhe e frequentar festas milionárias. Ou então, vendos seus vídeos, era assim que achávamos que ela vivia. Talvez a maternidade tenha feito dela uma pessoa mais consciente, você também pode culpar a sua rival, a Beyoncé, que criou tendência em fazer produções ricas em seus concertos. A produção de Beyoncé faz a de Mariah parecer sem graça.

Além de seus vestidos chamativos, o palco esta escasso e muito simples, seus bailarinos pareciam figurantes do So You Think You Can Dance, e quando eles não estavam no palco, aparecia algumas montagens de vídeos estrelada por Carey no telão. E vamos lembrar que talvez ela tenha algum problema cinematográfico, pois a sua estreia no cinema foi um fracasso com Glitter. Sim, isto não é vale ouro.

Claro, que existem aqueles fanáticos que vão pagar qualquer valor  por ver toda aquela a extensão vocal e whistles que ela só ela sabe fazer no palco, que  de certa forma, estão ali para suprir uma  produção deficiente. No caso de Carey, ela não precisa fazer muita coisa para impressionar a multidão, basta ela atingir as notas mais altas executando o seu lendário whistle register, que foi o que a fez famosa.

E ela fez mais do que isto quando apresentou o seu hit importante, Hero com um vocal apaixonado e inspirador que foi mais que o suficiente. Com este número ela trouxe uma imagem mais classuda ao concerto. Não esperamos que ela fique sacudindo a bunda até o chão igual a Beyoncé, mas talvez se ela trouxesse uma arma com um glitter e algumas lantejoulas poderiam ter ajudado a acrescentar algo a este brilho invasivo da produção.

Fonte: News.com.au

Deixe sua opinião

Este artigo não possui comentários
Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.