Mariah Now é a sua maior fonte brasileira sobre a Mariah Carey. O site é totalmente dedicado para os fãs da Mariah. Acompanhe notícias, vídeos, entrevistas, participe de promoções e eventos. Todo conteúdo divulgado no site é criado ou editado por membros da equipe, qualquer conteúdo retirado daqui, mantenha seus devidos créditos. Somos apoiados pela Universal Music Brasil e pela Sony Music Brasil.

Durante uma rara visita à sua casa, a cantora superstar recebeu a Rolling Stone, respondeu seus críticos e deu uma pequena amostra de seu processo criativo na elaboração de um álbum.

A primeira coisa que você espera ver quando você atravessa o portão de acesso de segurança da extensa propriedade alugada de Mariah Carey em Beverly Hills, onde se mudou há algumas semanas, é algo excessivo. E ali está: dois pilares de balões cor-de-rosa, magenta e de cor metálica, balançando na brisa da tarde à entrada da casa principal, o que sobrou dois dias depois do Dia dos Namorados. Não é surpreendente, realmente – ela adora ser festiva. Afinal, ela se tornou a rainha soberana do Natal com seu hit “All I Want for Christmas Is You”, e até mesmo comemorou o feriado pela segunda vez em janeiro de 2016, apenas uma semana depois de ficar noiva do bilionário James Packer.

Voltamos para os dias atuais e Carey começou o ano se renovando. Ela interrompeu o noivado com Packer em outubro, e documentou parte dela em sua audaciosa série, Mariah’s World, onde ela se conectou com seu atual namorado, o dançarino/coreógrafo Bryan Tanaka. Durante a visita de 16 de fevereiro à Rolling Stone, Tanaka está se aproximando da propriedade, andando atrás de seu cachorro, um pitbull de quatro anos chamado Mila, que ele deixou na área da piscina ao lado da casa de hóspedes de dois andares onde os Dembabies – codinome dos gêmeos de cinco anos de Carey – estão brincando. Foi apenas uma semana antes de Carey lançar seu single “I Don’t” feat. YG, uma espécie de recado musical para seu ex, enfatizada por um vídeo musical em que ela queima o vestido de US$ 250.000 que ela planejava usar no casamento.

Faz sentido que ela queira um novo começo, particularmente nesta casa isolada de Los Angeles, completa com uma quadra de tênis e uma academia gigantesca, que é avaliada em US$ 100.000 por mês e possui nove quartos e 10 banheiros. Mas ela está dando uma espairecida na mente, particularmente a nuvem de tempestade que atualmente paira sobre sua carreira: uma performance na véspera de Ano Novo que foi amplamente reconhecida como desastrosa, onde ela cantou seus sucessos “We Belong Together” e “Emotions”, que a enviou em um hiato da mídia social desde então.

“Eu nem quero falar muito sobre isso, mas o que quer que seja, estamos obviamente falando sobre isso, a situação de Ano Novo – isso não poderia ser evitado”, ela diz, conversando com a Rolling Stone dentro de sua casa. Pessoalmente ela é glamourosa, seus brincos de argola cravejados de brilhantes  e diamantes, botões de ouro acentuando seu vestido preto, um anel de borboleta com seu brilhante esmalte prata. Ela olha para você diretamente nos olhos o tempo todo enquanto ela fala, exceto quando ela revira os olhos para uma pergunta que ela não gosta, na forma clássica Mimi de ser.

Sua explicação para o evento do reveillon hoje coincide com a declaração que ela lançou logo após o fiasco, para combater a refutação da Dick Clark Production de que eles ignoraram seu pedido para corrigir um problema com seus monitores internos antes do show. “É apenas algo que, se eu não posso explicar isso para o mundo inteiro, então eles não vão entender, porque não é o que eles fazem. Assim como eu não iria entender alguém que tenha um trabalho de secretária e como executar a função. Eu não poderia, literalmente sou incapaz de estar no mundo real e sobreviver”.

É um dia raro de imprensa para Carey, seu primeiro nos próximos meses desde que virou o ano, e um dia depois que ela lançou “I Don’t” no Jimmy Kimmel Live! Para a performance, ela estava cantando sem uma base de apoio; Foi grandemente saudado como um triunfal retorno à sua velha forma. Alguns até disseram que ela “se redimiu”, uma avaliação reconhecidamente condescendente que desconta grande parte seus 18 Singles em primeiro lugar e foi louvada, como se tornar a terceira cantora que mais vendeu discos nos EUA, ficando atrás de Barbra Streisand e Madonna. Ela tem décadas e décadas de atuações estelares ao longo de sua carreira – “Não acrescentem muitas décadas”, diz ela – e apenas um punhado de percalços públicos, nenhum dos quais recebeu quase tanta atenção como o acidente de Ano Novo.

Então, como ela lida com a controvérsia em 2017? “Eu costumava ficar chateada com as coisas”, diz ela. “Isso estava fora do meu controle, e se tudo não tivesse sido uma bagunça tão caótica, então eu teria sido capaz de fazer algo acontecer. Mesmo os dançarinos deveriam ter parado de dançar e me ajudado a sair da merda do palco. Foi uma bagunça, e eu culpo todo mundo, e me culpo por não ter ido embora depois do ensaio”.

Seu foco se voltou para a família, particularmente cultivando seu relacionamento com Tanaka. Parecia relativamente rápido que eles começassem a ficar confortáveis publicamente após sua separação de Packer, mas a amizade dos dois começou em 2006, quando ele era dançarino dela numa turnê, e culminou em um vídeo amplamente circulado do Mariah’s World, onde ele pergunta se ela realmente quer se casar com Packer, no que muitos especularam ter sido uma cena de roteiro. Mais recentemente, Carey postou uma foto no Instagram deles juntos em uma banheira no Dia dos Namorados; Ela ainda considera seu relacionamento praticamente secreto.

“Eu não acho que estamos nos expondo da mesma forma que meus relacionamentos foram expostos antes”, diz ela. “Para mim, a melhor coisa a fazer é mantê-lo um pouco mais privado, mas eu não vou deixar de sair com ele e de desfrutar nossas vidas porque todo mundo pensa: ‘Oh, é muito cedo!’ Todos nós vimos o programa, isso não é uma surpresa”.

 

 

Assim como aparenta, Carey parece estar saboreando sua liberdade como musicista para gravar com facilidade. “I Don’t” é um single autônomo que reinterpola e usa o sample de Donell Jones, “Where I Wanna Be”, na tradição de Carey. Ela tem estado um passo à frente desse jeito – alguns de seus melhores remixes vem de músicas como “Pure Imagination” para “I Still Believe” e “My Boo” do Ghost Town DJ, que ela arranjou para o remix de “HATE U”, e viu um ressurgimento no ano passado, graças ao Running Man Challenge. “A coisa agora é uma tendência, e uma tendência que eu estou muito familiarizada, fazendo canções ao redor de samples diferentes, é isso que eu faço. Não importa se você está inspirado por músicas dos anos 80 e 90”.

Carey não tem planos de gravar uma sequência para o seu subestimado álbum de 2014, “Me. I Am Mariah…The Elusive Chanteuse”, embora ela tenha esboçado “coisas conceituais” com o DJ Khaled e Travis Scott no estúdio. Em vez disso, ela diz, planeja gravar singles quando ela não estiver na estrada com Lionel Richie em sua próxima turnê conjunta. Ela está particularmente empenhada em fazer da casa dela um lar – parece um pouco vazio, uma lareira acentuada por algumas fotos dela em um traje vermelho, de férias com seus gêmeos, e um corredor vazio te levando no local em que ela está passando o dia dando entrevistas. “As pessoas que têm uma opinião sobre mim, alguns deles pensam, ‘Oh, ela não tem direito às mesmas regras que outra pessoa'”, diz ela. “Eu tento dar o meu melhor”.

Deixe sua opinião

Este artigo não possui comentários
Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.