Mariah Now é a sua maior fonte brasileira sobre a Mariah Carey. O site é totalmente dedicado para os fãs da Mariah. Acompanhe notícias, vídeos, entrevistas, participe de promoções e eventos. Todo conteúdo divulgado no site é criado ou editado por membros da equipe, qualquer conteúdo retirado daqui, mantenha seus devidos créditos. Somos apoiados pela Universal Music Brasil e pela Sony Music Brasil.

O fundador do gravadora Murder Inc Records, o Irv Gotti, falou sobre a rivalidade de Mariah Carey e a dançarina Jennifer Lopez.

17 anos após o furto dos samples do álbum de Mariah Carey, a frase ‘I don’t know her‘ tornou-se a alfinetada mais lendária entre as divas pops para o millennials.

Yosub Kim, Content Strategy Director GIF - Find & Share on GIPHY

De acordo com Irv, Tommy Mottola, que na época era presidente da Sony Music, estava pronto para afetar a sua ex-esposa e deixá-la sem uma carreira de sucesso.

“Tommy Mottola me chamou porque ele descobriu que Ja Rule gravou uma música com Mariah Carey. Na época, ele odiava Mariah Carey, e então ele estava tentando fazer a Jennifer Lopez acontecer para competir com ela”, revelou Gotti.

O executivo da Sony Music Entertainment supostamente pediu o dueto de Jennifer Lopez e Ja Rule durante essa conversa telefônica.

“Imediatamente quando ele disse isto, eu pensei, ‘Ele sabe que se fizermos isto, estaremos fazendo merda com a Mariah e ele quer foder a Mariah de todos os jeitos,” disse Gotti.

Resultado, Jennifer Lopez e Tommy roubaram o sample que Mariah usaria originalmente na faixa Loverboy”, lead single de seu álbum ‘Glitter’, para usar na versão pop da canção “I’m Real”.. Além do sample roubado, eles copiaram outra faixa do álbum, If We“, a versão remix de “I’m Real” era muito semelhante ao dueto de Mariah Carey com Ja Rule.

Entrevista com o Gotti:

 

Deixe sua opinião

Este artigo não possui comentários
Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.