Mariah Now é a sua maior fonte brasileira sobre a Mariah Carey. O site é totalmente dedicado para os fãs da Mariah. Acompanhe notícias, vídeos, entrevistas, participe de promoções e eventos. Todo conteúdo divulgado no site é criado ou editado por membros da equipe, qualquer conteúdo retirado daqui, mantenha seus devidos créditos. Somos apoiados pela Universal Music Brasil e pela Sony Music Brasil.

A turnê em parceria com Lionel Richie, All The Hits Tour, já começou de forma inusitada: com alguns shows sendo reagendados para que Lionel pudesse se recuperar de uma cirurgia no joelho e Mariah se afastar ainda mais da trágica apresentação no especial de Ano Novo na Times Square.

Então, talvez não seja surpreendente que a passagem da turnê no Madison Square Garden no sábado à noite tivesse resultados mistos. O adiamento funcionou bem para Richie, que estava em boa forma ao longo de seu set de 90 minutos, parecendo pronto para dançar a noite toda. Mas o show de Carey foi algo bizarro e divertido que simplesmente não se encaixava em uma estrela da sua posição. Foi encantador à sua maneira, especialmente quando seus gêmeos, Roc e Roe, se juntaram a ela no palco para “Always Be My Baby”.

Houve momentos em que Carey sabia que ela estava sendo ridícula, como quando seu esquadrão de maquiagem entrou para dar uma retocada, enquanto ela ficou sentada em seu trono por volta de 20 minutos durante o show. “É demais?” Ela perguntou enquanto seu time retocava sua maquiagem e endireitava o véu de seu vestido dourado. Bem, sim, mas esse é o comportamento da diva que esperamos.

A parte mais estranha veio quando o DJ Suss-One entrou para tocar as músicas de Michael Jackson por cinco minutos, enquanto Carey trocava o figurino. De alguma forma, a artista solo com mais hits No. 1 na história precisa de um DJ para ajudá-la a preencher um show.

Esse é apenas o sinal mais óbvio de que Carey não está se esforçando. Sim, seu desejo de permanecer sentada tem sido bem documentado recentemente pelo seu antigo coreógrafo, e houve até um ponto em que ela foi carregada para o palco. Mas são os momentos em que Carey não canta o suficiente, que é mais confuso, mesmo durante momentos-chave como o clássico “One Sweet Day”, que tinha trechos onde ninguém podia ser ouvido cantando a melodia porque Carey estava improvisando.

Quando Carey canta toda a música, como fez durante “Vision Of Love” e “Hero”, sua voz ainda é deslumbrante, mas a multidão teve que ser convidada a aplaudir para que ela voltasse para “Hero”. Talvez ela pudesse pegar algumas dicas do show de Richie, que foi bem elegante e bem sucedido.

O relacionamento de Richie com o público, permite que ele salte entre o funk dos Commodores como “Brick House” e baladas como “Hello” e até mesmo incorporar surpresas como “Fancy Dancer” e “Just to Be Close to You”. Mas são as vezes em que ele está sozinho no piano, como em “Three Times a Lady”, onde ele realmente brilha e seu espírito chega em hinos como “We Are the World” e “All Night Long”.

“Meu trabalho é cantar todos os hits”, disse Richie depois de uma versão estendida de “Running With the Night”. E ele lidou com esse trabalho como um verdadeiro profissional.

Mariah Carey setlist:

  1. Set-list: Madison Square Garden. NYC, USA.

    Act 1
    1. Heat (Intro)
    2. I’m That Chick
    3. Heartbreaker (Remix)/Heartbreaker
    4. Touch My Body
    5. I Know What You Want (Snippet)
    6. My All
    7. Always Be My Baby
    8. Don’t Forget About Us
    9. One Sweet Day (with Daniel Moore & Trey Lorenz)

    Act 2
    10. It’s Like That
    11. Vision of Love
    12. We Belong Together/We Belong Together (Remix)

    Encore
    13. Hero

Deixe sua opinião

Este artigo não possui comentários
Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.