Mariah Now é a sua maior fonte brasileira sobre a Mariah Carey. O site é totalmente dedicado para os fãs da Mariah. Acompanhe notícias, vídeos, entrevistas, participe de promoções e eventos. Todo conteúdo divulgado no site é criado ou editado por membros da equipe, qualquer conteúdo retirado daqui, mantenha seus devidos créditos. Somos apoiados pela Universal Music Brasil e pela Sony Music Brasil.

International Business Times publicou uma matéria mostrando o apoio que os fãs de Mariah Carey têm dado à cantora após as últimas acusações feitas por ex-funcionários.

Mariah Carey ainda não respondeu pessoalmente as acusações de que ela tentou assediar sexualmente seu ex-guarda-costas e que ela havia chamado sua equipe de segurança de supremacistas brancos, entre outros rótulos racistas. No entanto, seus fãs, chamados de Lambs, não podiam deixar de defender a diva do pop das histórias que parecem prejudicar sua reputação.

Logo após as notícias terem sido publicadas, o ex guarda-costas de Carey, Michael Anello, a acusou de persegui-lo sexualmente, chamando ele e seus colegas de termos racistas e não lhes pagando o que ela deve. Os Lambs não perderam tempo para deixar comentários sobre o último post do Instagram da cantora de “Emotions” para apontar as inconsistências nas alegações.

Primeiro, sobre a questão de que Carey tinha assediado sexualmente Anello, os fãs da cantora apontaram que não havia acontecido qualquer tipo de assédio sexual. “Ela chamou seu guarda-costas para pegar sua bagagem, e quando ele entrou, ela estava usando um robe. Ela estava em sua própria casa vestindo roupas mais confortáveis. Como ela o perseguiu sexualmente?” disse um fã.

Sobre a questão de que a cantora usou termos racistas para se referir a seus guarda-costas, um fã disse que Carey não é do tipo que usa palavras racistas porque ela mesma é birracial, nascida de uma relação entre uma mulher branca e um homem negro. Além disso, o fã notou que Carey se casou com um homem branco e um homem negro e seu namorado atual é asiático. Outro Lamb apontou que o perfil de namorado de Carey dizque ela não é racista porque namorou vários tipos de caras: italianos, brancos, hispânicos, negros e asiáticos.

Alguns chegaram a acusar a ex-empresária da Carey, Stella Bulochnikov, como se ela tivesse criado as falsas acusações. “Nós a amamos Mariah. Sabemos que todas essas acusações não são reais e a cobra da Stella os inventou”, disse um fã. Muitos outros simplesmente expressaram seu apoio para Carey em meio às acusações. “Nós somos corajosos. Nós ficaremos ao seu lado para sempre. Você é forte, somos fortes”, comentou.

Na quarta-feira, o TMZ fez uma matéria sobre os detalhes chocantes declarados em um rascunho de um processo que Anello está preparando contra Carey. Anello – chefe da Anello Security and Consulting, com sede em L.A. – afirma que a cantora tem uma fatura de 220 mil Dólares não paga pelos serviços que eles realizaram para ela. Além disso, ele disse que há 511 mil Dólares adicionais para os dois anos restantes do contrato que eles assinaram.

Além da questão monetária, Anello mencionou casos em que sentiu que Carey estava sendo inapropriada. Por exemplo, ele disse que Carey se referia a ele como nazista e que a cantora tinha rotulado ele e seus colegas como skinheads, membros da KKK (Ku Klux Klan) e supremacistas brancos. Ele mesmo insistiu que Carey realmente quer “estar cercada de gente negra, não de pessoas brancas”.

Outra queixa destacada no rascunho de Anello insinua que Carey o perseguiu sexualmente. De acordo com o guarda-costas, Carey fez algo inapropriado com ele quando estavam em Cabo San Lucas. Ele afirmou que Carey pediu-lhe para retirar alguma bagagem, mas quando ele entrou em seu quarto, ela estava com um robe provocativo que estava aberto. Ele disse que queria sair, mas Carey insistiu que ele retirasse a bagagem primeiro. Ele então revelou que nenhum contato físico aconteceu entre ele e Carey antes de sair do quarto.

Os representantes da cantora de “Touch My Body” desde então confirmaram que eles estavam dispostos a pagar o que é devido. No entanto, eles não abordaram o assédio sexual e as alegações racistas, de acordo com o Page Six.

Deixe sua opinião

Este artigo não possui comentários
Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.