Mariah Now é a sua maior fonte brasileira sobre a Mariah Carey. O site é totalmente dedicado para os fãs da Mariah. Acompanhe notícias, vídeos, entrevistas, participe de promoções e eventos. Todo conteúdo divulgado no site é criado ou editado por membros da equipe, qualquer conteúdo retirado daqui, mantenha seus devidos créditos. Somos apoiados pela Universal Music Brasil e pela Sony Music Brasil.

O site theJasmineBRAND conseguiu dados exclusivos sobre a batalha judicial de Mariah Carey com a empresa de shows que traria a ‘Sweet Sweet Fantasy Tour’ para América Latina.A cantora respondeu o processo de difamação que um promotor entrou com ela. A cantora alegou que  a FEG Entretenimientos S.A. esperou muito tempo para entrar com uma ação legal contra ela por causa de sua declaração nas mídias sociais.

Mariah moveu um processo contra a empresa em 2016, pois não foi paga para realizar os concertos no Chile, Brasil e Argentina. Ela disse que a situação prejudicou a sua marca, pois ela foi obrigada a cancelar os shows em cima da hora.

Então a FEG Entretenimientos S.A. moveu um processo contra ela. Eles alegaram que ela não se apresentou nos dois shows no exterior sem aviso ou motivo. Eles estão a processando por pelo menos US$ 500 mil em danos para cada um dos shows perdidos.

Na época, ela postou em sua conta no Twitter: “Estou devastada por meus shows no Chile, na Argentina e no Brasil terem que ser cancelados. Meus fãs merecem mais do que alguns desses produtores têm os tratados”.

Os promotores alegaram que esse tuíte era “conscientemente falso e difamatório” e causou danos irreparáveis ​​à sua empresa, que eles estão buscando 2 milhões de dólares em danos.

Aqui está a história real: Carey diz que a alegação de difamação do promotor é inoportuna, o que significa que eles esperaram muito tempo para processá-la. Ela aponta que a mensagem no Twitter foi publicada em outubro de 2016. No entanto, eles não entraram com uma ação até janeiro de 2018. No processo, a equipe jurídica de Carey também observa que ela nunca mencionou o promotor pelo nome e não fez nenhum falso testemunho, pois ela tem como comprovar que nunca recebeu os cachês para realizar os shows no Brasil, Chile e Argentina. Mariah também exigiu em juízo que as empresas façam uma retratação pública e que as acusações sejam rejeitadas.

Fonte: theJasmineBRAND

Deixe sua opinião

Este artigo não possui comentários
Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.