Mariah Now é a sua maior fonte brasileira sobre a Mariah Carey. O site é totalmente dedicado para os fãs da Mariah. Acompanhe notícias, vídeos, entrevistas, participe de promoções e eventos. Todo conteúdo divulgado no site é criado ou editado por membros da equipe, qualquer conteúdo retirado daqui, mantenha seus devidos créditos. Somos apoiados pela Universal Music Brasil e pela Sony Music Brasil.

O primeiro single do “Glitter”“Loverboy”,  trilha sonora do primeiro longa de Mariah Carey, foi uma mistura de conceito e confusão musical. A essa confusão foi, infelizmente, transferida para o clipe da música – havia corridas de carro, o rosto de Mariah Carey sobrepostos, calotas e shorts muito curtos e algumas danças cafonas.

Tudo apontava para uma grande mudança na vida de Carey, que começou o ano de 2001 com mensagens estranhas de áudio em seu site oficial, uma aparição memorável e icônica, porém nada planejada no programa TRL da MTV, e a saída da Columbia Records. Na época, a jovem Mariah Carey, aos 30 anos,o assinou um contrato de 100 milhões de dólares com a Virgin Records para lançar cinco álbuns, o contrato mais caro da indústria fonográfica até então.

Anos mais tarde, Carey revelou que ela sofre de transtorno bipolar, e muito de seu comportamento naquele ano sinalizou para o sofrimento emocional que ela sofria durante o período.  Em 2001, Carey era uma megastar que lutava para se redefinir como artista e como mulher. Quando “Loverboy” foi lançado, ficou claro que ela ainda não tinha encontrado completamente o caminho certo.

O lado positivo é que “Loverboy” ainda se destaca como um dos vídeos mais memoráveis ​​de Carey, mesmo que não seja necessariamente pelas melhores razões. Veja abaixo o lado bom e o ruim de “Loverboy”:

 

O Lado bom:

Ele vendeu bem: os críticos podem tê-lo considerado desajeitado, sem originalidade e estranho, mas “Loverboy” ainda era a música mais vendida de 2001 nos EUA, apontando para o poder de estrela dominante de Carey. 

Sample de Cameo: Você não pode exagerar o brilho do grupo funk, Cameo. E qualquer um com o bom senso pode dizer uma de suas melhores músicas é“Candy”, e mereceu destaque por estar ali.

Larry Blackmon no vídeo: O vocalista do Cameo, Larry Blackmon, participando do clipe ao lado de Da Brat.

  • O Lado Ruim

Foi o primeiro fracasso comercial de Carey: Sim, apesar de ter o single mais vendido de 2001, porém “Loverboy” também foi o primeiro lead single de Carey que não conseguiu chegar ao 1° lugar do Billboard Hot 100. A música conseguiu somente chegar ao 2° lugar na parada, que apesar de uma excelente posição, foi considerado um desempenho ‘baixo’ para a maior estrela pop da música da época.

Mariah Carey dançando: Apesar de ter um bom coração, Carey não é uma boa dançarina e isso é revelado nesse vídeo. Em todos as cenas que ela aparece dançando de forma erótica em cima de um carro ou na pista de corrida, são muito ruins. Se você notar, a maioria desses desses frames são exibidos em câmeras lenta, provavelmente para ajudá-la a pegar o ritmo.

Glitter: o drama musical romântico de Mariah Carey, Glitter, é um dos piores filmes vistos nas últimas duas décadas, ao lado de Gigli, o horrível e bizarro filme de Jennifer LopezBen Affleck. Glitter foi duramente criticado por causa do enredo brega e das fracas atuações do elenco, tornando-se alvo de muitas piadas na cultura pop nos últimos anos. Consequentemente, Carey lutou para se reerguer após o fiasco do filme, que foi considerado o inicio de sua queda de popularidade. Claro, agora sabemos que isso está longe de ser verdade, ela deu a volta por cima em 2005 com o álbum  The Emancipation of Mimi, que além de ter sido considerado um dos melhores álbuns de todos os tempos, também foi considerado o ‘comeback’ mais icônico da história da música pop.

  • O lado sujo

Mariah Carey foi vítima de sabotagem de Jennifer Lopez  e Tommy Mottola na ocasião. A gravação original de ‘Loverboy’ possuía samples da faixa “Firecracker”  do grupo Yellow Magic Orchestra.  Porém, com intuito de fracassar a ida de Mariah Carey para Virgin Records, o ex-marido de Mariah, Tommy Mottola e sua nova contratada, Jennifer Lopez, roubaram o samples original da canção de Mariah. Eles foram atrás dos direitos para usar o sample um mês após Mariah ter finalizado a canção. Ao descobrir o roubo, Mariah mudou o sample da canção de última hora para ‘Candy’ do grupo Cameo. Então Mottola usou o sample roubado para o single de Lopz, a canção ‘I’m Real’. Falando sobre roubos durante o projeto do Glitter, chefe da Murder Inc., Irv Gotti, disse que Mottola realmente disse a ele para criar Murder Remix de “I’m Real” de J. Lo para soar exatamente como outra música do Glitter, a faixa“If We“, que contou com a participação de Ja Rule e Nate Dogg. Poderia ser por isso que Mariah Carey não conhece a J. Lo?

 

Comportamento estranho:

Aliado ao lançamento do Glitter, mais controvérsias surgiram por causa do comportamento controverso de Carey, que sem dúvida impactou negativamente a recepção de “Loverboy”. Ela começou a postar sobre mensagens em seu site, incluindo uma que dizia: “Estou tentando entender as coisas na vida agora e por isso não sinto que deveria estar fazendo música agora”. Ela também fez aparições bizarras na  TV , incluindo uma surpresa  no TRL da MTV, em que ela exibiu comportamento bizarro – ela saiu empurrando um carrinho de sorvete e distribuindo picolés para plateia, antes de fazer um strip-tease. A aparição atraiu muita atenção, assim como uma tarde de autografos no loja Tower Music, onde foi contida por sua assessora, Cindi Berger. Menos de uma semana após isso, ela foi hospitalizada por exaustão mental e física grave. Como resultado, o lançamento do Glitter, filme e trilha-sonora, foram atrasados.

 

O lançamento oficial da trilha-sonora caiu no 11 de setembro: Uma infeliz coincidência, a trilha sonora de Glitter foi lançada em 11 de setembro de 2001, aumentando ainda mais sua história de desastre.

Fonte:  The Boombox

 

Deixe sua opinião

Este artigo não possui comentários
Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.