Mariah Now é a sua maior fonte brasileira sobre a Mariah Carey. O site é totalmente dedicado para os fãs da Mariah. Acompanhe notícias, vídeos, entrevistas, participe de promoções e eventos. Todo conteúdo divulgado no site é criado ou editado por membros da equipe, qualquer conteúdo retirado daqui, mantenha seus devidos créditos. Somos apoiados pela Universal Music Brasil e pela Sony Music Brasil.

Nas últimas quatro décadas, Narada Michael Walden tem sido produtor de discos, compositor, artista e baterista que trabalhou com Mariah CareyWhitney Houston, Aretha Franklin e muitos outros artistas. Ele já levou três prêmios GRAMMY para casa, incluindo o de Produtor do Ano, e produziu mais hits para Houston do que qualquer outro produtor. Separamos o trecho em que Narada fala da experiência de ter trabalhado com Mariah. Confira abaixo:

Você também trabalhou com Mariah Carey e co-escreveu seu hit # 1, “I Don’t Wanna Cry”. Como você se reuniu com ela?

Recebi um telefonema de Tommy Mottola (então presidente da Sony Music). Ele tinha acabado de conhecer Mariah e estava muito empolgado com ela. Ele me enviou um cassete e sua foto. Eu poderia dizer que ela era uma ótima cantora. Eu disse: “Ok, então o que você quer que eu faça?” E ele disse: “Eu quero que você nos dê um hit”. Então eu sugeri que nos encontrássemos, e aí a gente começaria o trabalho de lá. Fui para Nova York e me encontrei com Mariah, e fiquei meio tímido com ela. Ela era muito sincera e doce, mas de fala mansa e tímida. Não é como a Mariah que você vê agora…mais confiante. Então eu disse: “Vamos logo para um estúdio – vamos apenas pegar um piano, um sintetizador, uma bateria eletrônica e alguns microfones. Vamos ver o que podemos escrever”. E fomos ao estúdio e escrevemos quatro músicas na primeira vez.

Logo antes de escrevermos “I Don’t Wanna Cry”, eu olhei para ela…ela é muito bonita. Eu disse: “Você sabe o que você precisa? Você precisa de uma música muito triste…que as pessoas quase não possam acreditar que algo tão triste tenha saído de uma pessoa tão bonita”. Eu disse a ela que quando eu era um garotinho, eu vi o Stevie Wonder no Teatro Regal, em Chicago, e ele cantou “Fingertips” e o local veio abaixo. E nesse mesmo palco, saiu um cantor, Walter Jackson, e ele estava em uma cadeira de rodas. E ele estava cantando essa música chamada “It’s An Uphill Climb To The Bottom”. Eu era apenas uma criança, mas eu me lembro que no clímax da música, ele caiu da cadeira e foi ao chão! E as pessoas estavam gritando. Ele estava no chão, e ele ainda estava cantando “It’s An Uphill Climb To The Bottom”, e ele cantava sem parar. Eu disse a Mariah: “Você precisa de uma música que faça isso”. Então, pensei: vamos inventar um título com “cry”“I Don’t Wanna Cry”. E isso me atingiu como um raio. (Ele começa a cantar) “I don’t want to cry…I don’t wanna cry”. E uma vez que Mariah conseguiu cantar, nós rapidamente desenvolvemos a melodia. E então ela disse: “Eu quero terminar a letra”, e ela fez. Ela escreveu uma letra matadora em apenas um dia. Então nós nos demos tão bem quanto arroz e feijão. Nós nos unimos e é assim que “I Don’t Wanna Cry” aconteceu e se tornou um hit #1. E assim que a gravadora ouviu a música, eles também me fizeram trabalhar (na produção do hit) “Vision of Love” e “There’s Got to be a Way” (do seu álbum de estreia, Mariah Carey).

Para ver a matéria completa, clique AQUI.

Deixe sua opinião

Este artigo não possui comentários
Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.