Mariah Now é a sua maior fonte brasileira sobre a Mariah Carey. O site é totalmente dedicado para os fãs da Mariah. Acompanhe notícias, vídeos, entrevistas, participe de promoções e eventos. Todo conteúdo divulgado no site é criado ou editado por membros da equipe, qualquer conteúdo retirado daqui, mantenha seus devidos créditos. Somos apoiados pela Universal Music Brasil e pela Sony Music Brasil.

Na última segunda, 27, o disco E = MC2 alcançou o topo da parada do iTunes 17 anos após o lançamento

Alguns artistas se cercam de empresários, consultores e fazem estratégias por meses para colocar o próprio álbum no topo das paradas. Mariah Carey atingiu o número um enquanto dormia.

Na última segunda, 27, o 11º álbum de estúdio de CareyE = MC², alcançou o topo da parada do iTunes depois que uma hashtag feita por fã começou a aparecer no Twitter durante a noite. #JusticeforEMC2 pedia justiça para o disco lançado em 2008.

Quase dois anos antes, em 2018, uma hashtag semelhante colocou Glitter, de Mariah Carey,  no topo da parada do iTunes 17 anos após o lançamento do disco. A campanha #JusticeforGlitter foi tão eficaz que a cantora adicionou algumas músicas do álbum à turnê Caution World, realizada naquele ano.

O modo como E = MC² conquistou as paradas (novamente) é uma prova do poder de uma base de fãs dedicada e da velocidade rápida na qual as tendências são formadas atualmente nas mídias sociais.

E = MC2² foi lançado pela Island Records em 15 de abril de 2008, estreando no número um nas paradas da Billboard. O álbum lançou o sucesso “Touch My Body” (18º hit número um na Billboard Hot 100 que  ajudou a cantora a superar Elvis Presley como a artista solo com mais singles número um da história).

No entanto,  no último aniversário do disco, não houve muito alarde ou reconhecimento do título, assim como da cantora, assim, um “Lambily” de Carey (nome dado aos fãs da cantora) teve uma ideia. De acordo com um porta-voz do Twitter, o uso da hashtag #JusticeforEMC2 decolou no domingo, antes de atingir o pico na noite de segunda-feira.

Uma pequena apuração revela que a hashtag foi usada pela primeira vez por David Gutierrez, de 17 anos, sob o perfil  “unocompetitor”, no Twitter. O menino, atualmente em isolamento em Connecticut, revelou que foi um estímulo do momento, causado por uma mistura do amor pelo álbum e um pouco de tédio em quarentena.

“Vi que o álbum tinha um desconto (o iTunes custava US$ 4,99 em comparação com US$ 9,99 para a maioria dos novos lançamentos) e estava lentamente ganhando impulso na parada do iTunes, então eu, junto com alguns outros fãs, pensei: ‘Talvez devêssemos impulsioná-lo para o número um’”, disse Gutierrez à Rolling Stone EUA.

“Isso já aconteceu com Glitter; por que não fazer acontecer de novo? Não podemos fazer muito devido a essa quarentena”, acrescentou o adolescente, “então por que não passar um tempo ouvindo um bom trabalho músical?”

O Twitter diz que a hashtag #JusticeforEMC2 acumulou mais de 8 mil menções antes de Carey tuitá-la pela primeira vez na segunda-feira. Na terça-feira, a cantora mencionou o feito improvável novamente, apresentando um trecho de “Last Kiss”, um dos hits do álbum (procuramos Carey para comentar, mas ainda não recebemos resposta).

De acordo com o Twitter, houve quase 25 mil menções à hashtag, mas os números ainda estão aumentando. Enquanto isso, o último tweet de Carey ganhou 15 mil curtidas até o momento.

Quatro músicas do E = MC² – “For the Record”, “Migrate”, “I Wish You Well” e “Thanx 4 Nothin'” –  também ganharam destaque mundial no fim de semana. O disco liderou as paradas do iTunes por dois dias seguidos e ainda estava entre os três primeiros no momento no qual esta matéria foi escrita.

Quanto ao motivo pelo qual o disco de 12 anos merece “justiça”, Gutierrez disse que nunca viu ou ouviu Carey se referir ao E=MC² em entrevistas e a data de aniversário recente do álbum passou sem nenhuma publicação ou menção da diva: “Não acho que Mariah entenda o quanto nós ‘Lambs’ prezamos o disco. Felizmente, #JusticeForEMC2 chamou a atenção”, disse ele.

Gutierrez diz que ele é um novo fã de Carey, tendo apenas recentemente mergulhado nos trabalhos da artista. “Ouço os clássicos de Mariah no rádio desde criança, mas não me tornei fã até a era de Caution, talvez um pouco mais tarde. Foi um álbum tão bom” disse ele sobre o lançamento de Carey em 2018.

“Além de ser uma cantora incrível, ela é uma compositora fenomenal e acho que essa é uma das muitas razões pelas quais eu a amo tanto. Somente a voz dela é suficiente para dar arrepios, mas quando você disseca a letra de algumas de suas músicas, elas tocam a alma, e você não pode deixar de se emocionar. Ela é o epítome da arte, e estou muito feliz em poder dizer que sou um Lamb”, completou.

Fonte: Rolling Stone

Deixe sua opinião

Este artigo não possui comentários
Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.