Mariah Now é a sua maior fonte brasileira sobre a Mariah Carey. O site é totalmente dedicado para os fãs da Mariah. Acompanhe notícias, vídeos, entrevistas, participe de promoções e eventos. Todo conteúdo divulgado no site é criado ou editado por membros da equipe, qualquer conteúdo retirado daqui, mantenha seus devidos créditos. Somos apoiados pela Universal Music Brasil e pela Sony Music Brasil.

A MENINA DENTRO DA CAIXA DE VIDRO

Tudo começou quando eu trabalhava na rádio Power 106. Eu estava caminhando pelo corredor e Michelle Mercer disse: “Ei, a Mariah Carey vai ligar em 30 minutos para agradecer por ter tocado Allure.”

Allure foi o primeiro grupo que Mariah assinou em sua gravadora Crave Entertainment, e a faixa Head over Heels com Nas foi, por acaso, a primeira que eu adicionei oficialmente à lista de reprodução da estação depois de ser nomeado diretor de música.

“Se você quiser participar da ligação, entre no meu escritório”, continuou Michelle. Eu disse: “Certo, claro”

Alguns minutos depois, a recepção me chamou e disse que havia um pacote para mim. Era uma cópia prévia do álbum “Butterfly” de Mariah, juntamente com uma nota da Liz Pakora da Columbia Records. Eu conhecia Liz há muito tempo, desde os dias da Priority Records. Seu marido, Frank Lazano, me ouviu no ar pela primeira vez na Power 106 durante uma participação como DJ convidado.

Havia também uma nota em anexo, que dizia: “Em caso de algum vazamento desses arquivos, aqui está uma cópia do álbum Butterfly. Por favor, não toque nada ainda!”

Eu estava pensando, “Mariah Carey? Em uma estação de rap?” Eu amava sua música, e me lembrei de pensar quando comprei o single “Fantasy” que era difícil acreditar que alguém poderia ser tão linda e tão talentosa. Mas, como diretor de música, não conseguia ver como ela encaixaria numa rádio de rap.

Entrei no meu escritório,coloquei o CD no player e deixei no shuffle. A primeira que tocou foi uma música chamada The Roof, que tem um sample do Mobb Deep, Shook Ones Part 2. Eu pensei: “Uau, que faixa maluca! O que um sample de Mobb Deep está fazendo numa música da Mariah Carey? Eu imagino quem fez isso.” Então eu examinei os créditos e a Mariah e os mestres do The Track tinham produzido. Eu disse: “Esses caras são produtores incríveis. Fizeram algo muito bom!” Shook Ones Parte 2 é uma das minhas canções favoritas de todos os tempos.

Fiquei escutando acabei esquecendo, mas a Michelle ligou e disse: “Mariah está no telefone”. Entrei no escritório da Michelle e ouvi a Mariah no alto-falante. “…Eu só quero agradecer vocês por terem tocado Allure. É o primeiro lançamento no meu selo”.

Michelle começou a puxar saco imediatamente. “Oh, de nada…” Eu interrompi: “Tudo bem, Mariah, mas onde você inventou de usar um sample de ‘Shook Ones’?”

Ela riu e disse: “Oh, você gostou dela, né?” Eu disse: “Você é Mariah Carey! Como você conhece o Mobb Deep?” Ela riu novamente e me disse que era de Nova York – ela sempre foi uma grande fã do hip-hop e conhecia todo esse cenário. “Essa foi a minha ideia. Eu amo Mobb Deep e amo essa faixa.”

Eu disse: “Bem, então você conhece Survival of the Fittest?” Ela disse, “Hell yeah! Eu amo essa faixa. Cresci ouvindo WBLS (uma estação de música negra em Nova York). Quem é que está falando?” Eu disse: “Sou Damion Young, sou o novo diretor musical aqui.” Ela disse: “Tudo bem, foi bom conversar com você”, e desligamos.

Em seguida, fui ao jantar da indústria para o álbum Butterfly. Um grupo de chefões estava lá e eles estavam tentando fazer com que todas as estações de rádio tocassem “Honey”. Eu disse: “Olha, eu gosto da música, mas The Power é uma estação de hip-hop e eu não acho que encaixa” Eles disseram: “Bem, há um remix vindo com Puffy, Ma$e e The LOX.” Eu disse: “OK, entendi, vamos falar sobre isso!”

Começamos a tocar o remix aos poucos, e depois fomos ao lançamento do álbum. Eu pensei que seria divertido se eu tomasse água enquanto embebedava p E-Man de vodka. Dei 50 contos pro barman e combinei com ele. Após duas ou três doses, o E-Man estava caído. Mas minha brincadeira falhou. O lugar estava cheio de fodões da indústria como Donny Ionner, Charlie Walk, o vice-presidente sênior de promoções, todos os tipos de pessoas assim. Com o E-Man, bêbado fora de sua mente, ele disse: “Yo, eu adoro o álbum. Mas o Damion vai parar de toca-lo na próxima semana, porque ele acha que é zoado!” Todos olharam para mim como se eu fosse um idiota pelo resto da noite.

No dia seguinte, recebi uma ligação de Jerry Blair, vice-presidente sênior de promoções pop da Sony Records. Ele disse: “Então, você não gosta do álbum?” Eu disse: “Não, não é isso, não é assim. Você precisa entender, somos uma estação de rap!” Ele disse: “Bem, é o seguinte. A Mariah vai ao estúdio da Sony em Los Angeles. Ela vai fazer algumas entrevistas. Se você quiser, ela pode ir dar entrevistas aos seus DJs. Eu disse: “Sabe o que? Nós vamos passar.” Ele disse: “Como assim? É sobre Mariah Carey que estamos falando!”

Eu disse: “Se ela não se sentar e conversar com os ouvintes abertamente, então não queremos isso. Não queremos um interação distante, como se ela estivesse atrás de um vidro. Ele disse “Espere um pouco, já te ligo”.

Cinco minutos depois, o telefone tocou. “Olá, Damion. Mariah está ao telefone. Diga-lhe o que você acabou de dizer.” Na minha mente, eu tava como, “Merda!” Mas eu contei-lhe o que estava acontecendo. “O negócio é o seguinte, Mariah. Somos uma estação de rap. Se você vier e não interagir com os ouvintes, não tem porque fazermos isso.”

Jerry Blair disse “como faremos isso em três rádios no mesmo dia, todas em Los Angeles? Não temos tempo!” Eu respondi “faz o seguinte, marque todas pra uma sexta, façam as entrevistas nas outras primeiro, e depois venham pra minha pra fazer o programa noturno”. Ele disse “O que?” Eu disse, “Vai pra KIIS-FM no programa do Rick Dees pela manhã. À tarde faz o Theo na The Beat, porque ele tem a maior audiência, e depois venha aqui à noite.”

No fundo da minha mente, estava pensando: “Rick Dees é chato. Então ele vai fazer perguntas genéricas. Theo é arrogante, e ele só vai fazer perguntas sobre ele. Então, no final da noite, ela vai acabar na estação irmã da Hot 97 com Cherry Martinez, uma DJ feminina, com o nosso Ladies Night Show. Missy Elliott, Aaliyah, e todos esses tipos sempre passavam por esse programa. Jerry disse: “O que você acha Mariah?” Ela me perguntou: “Você acha que seria uma boa idéia?” Eu disse: “Sim, realmente seria.” Ela diz: “Então eu realmente entraria no ar?”

“Sim.”

“Por quê?”

“Porque as pessoas estão cansadas de ver aquela garotinha em uma caixa de vidro. Você precisa realmente tocar as pessoas”

Ela disse, “Hmm. OK.” E eles marcarama data.

 

Damion “Damizza” Young – Guilty By Association

1/20

Anterior

Início

Próximo
Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.