Mariah Now é a sua maior fonte brasileira sobre a Mariah Carey. O site é totalmente dedicado para os fãs da Mariah. Acompanhe notícias, vídeos, entrevistas, participe de promoções e eventos. Todo conteúdo divulgado no site é criado ou editado por membros da equipe, qualquer conteúdo retirado daqui, mantenha seus devidos créditos. Somos apoiados pela Universal Music Brasil e pela Sony Music Brasil.

David Bowie

Kevin Stea, que trabalhou com a Madonna na Blond Ambition, revelou alguns segredos de bastidores de alguns artistas que ele trabalhou, Michael Jackson, Madonna, David Bowie, Mariah Carey, Cher e Rihanna.

Ele chegou a processar a Madonna, por não ter autorizado a sua imagem para o documentário da ‘Na Cama Com Madonna’, “Eu achei que a minha carreira ia acabar após isto, mas depois eu fui convidado para trabalhar com a Cher, e trabalhei também com o Michael Jackson”.

Mas apesar de ter ficado famoso ao trabalhar com Madonna, ele acredita que a maior diva que ele já trabalhou tenha sido a Mariah Carey – alguém que odeia que o lado esquerdo de seu rosto seja filmado. “Eu estava trabalhando com ela no comercial que ela gravou para Pepsi, e  estavam filmando somente o seu lado direito. De repente, um fotografo se dirigiu para o lado esquerda e rapidamente ela gritou: ‘Alguém vai ser demitido’.”

Fonte: The Mirror

Na noite do último domingo, 10, aos 69 anos, o cantor David Bowie faleceu aos 69 anos, após 18 anos meses lutando contra o câncer.

Na tarde desta segunda-feira, dia 11, Mariah postou uma homenagem para o cantor em sua conta no Instagram:

“David Bowie, sempre iremos lembrar de seu brilhantismo. Sinceras condolências para família, amigos e fãs dele ao redor do mundo.”

Em entrevista para o portal Gay Times, Jeremy Helligar falou das celebridades que ele mais gostou de entrevistar:

Você já entrevistou algumas das maiores estrelas do mundo, qual é o seu favorito?

O meu favorito era o David Bowie. Eu entrevistei ele em um estúdio de gravação e logo depois a entrevista estava cancelada, porque eu estava doente. Pelo menos foi o que agente dele falou. Quando ele me conheceu e me disse: “Eu vi que você estava doente ontem,” com uma piscadinha insolente dando entender que ele estava dando em cima de mim. Então, após isto a entrevista valeria ouro. Depois disto tudo, a minha entrevista favorita foi Mariah Carey, que é muito mais esperta e engraçada do que todo mundo realmente acha.

Há um velho ditado, ‘a maçã não vai muito longe da árvore’, e isto tão verdadeiro ,especialmente quando falamos de grandes cantores. Na maioria das vezes em uma biografia, você vai ver que estes cantores começaram cantando em igrejas. Mas também, boa parte deles começou a carreira profissional atrás de outros grandes artistas. Vamos lembrar de alguns deles:

Duas lendárias vozes começaram suas respectivas carreiras desta forma, Luther Vandross e Whitney Houston. Ambos foram cantores de apoio. Luther Vandross foi cantor de apoio de Roberta Flack e Donnie Hathaway em 1972, além de ter também feito parte do coral de cantores de artistas como Chaka Kahn, Bette Midler, Diana Ross, Patti LaBelle, Barbra Streisand, e David Bowie antes dele ter seu trabalho solo no início dos anos 80.

Whitney Houston também começou assim, sendo cantora de apoio de sua mão, a cantora gospel Cissy Houston, além de ter sido também backing vocal de Chaka Khan na versão original de ‘I’m Every Woman’ em 1978, canção que Whitney Houston transformou em um de seus grandes sucesso em 1992. Por sinal, Chaka poderia até mesmo escrever um livro sobre cantores que trabalharam em sua banda e se tornaram grandes estrelas.

Falando em regravações feita por cantores de apoio que ficaram mais famosas que a versões originais, temos Mariah Carey, que começou sendo backing vocal para Brenda K. Starr, que fez sucesso com a canção ‘I Still Believe’ em 1988. Então, em 1998, Mariah prestou uma homenagem para Brenda, onde ela regravou esta música para seu disco ‘#1’s’. “I Still Believe” , que em 1988 foi a primeira música que Mariah Carey apareceu nos créditos de uma gravação como cantora profissional, ela fazia as notas agudas de fundo. Assim como aconteceu com a backing vocal de Mariah Carey, Kelly Price, que também trabalhou com George Michael, antes de lançar seu álbum solo em 1998.

Como você pode ser, não há nada errado em ‘viver sobre o holofote de outra pessoa’, porque tudo que é feito no escuro, um dia é levado para luz, basta acreditar.

Fonte: Global Grind

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.