Mariah Now é a sua maior fonte brasileira sobre a Mariah Carey. O site é totalmente dedicado para os fãs da Mariah. Acompanhe notícias, vídeos, entrevistas, participe de promoções e eventos. Todo conteúdo divulgado no site é criado ou editado por membros da equipe, qualquer conteúdo retirado daqui, mantenha seus devidos créditos. Somos apoiados pela Universal Music Brasil e pela Sony Music Brasil.

Newsday

O livro de memórias de Mariah Carey saiu nessa terça-feira e, embora a maior parte da atenção tenha se concentrado em sua aventura com o grande Derek Jeter dos Yankees enquanto era casada com o produtor Tommy Mottola, a diva pop vencedora do Grammy é igualmente franca sobre outros aspectos de sua vida. incluindo sua infância frequentemente turbulenta em Long Island.

Aqui estão oito coisas que você aprenderá sobre a cantora se ler “The Meaning of Mariah Carey” :

1. Ela estava sempre se mudando. Ao longo de sua infância, a família de Carey se mudou 13 vezes. Entre os lugares em que se estabeleceram estavam Huntington, Greenlawn, Melville e “uma casa minúscula e indefinida” em Northport.

2. A vida familiar era volátil. Carey, 51, escreve que “mini-explosões surgiram entre minha mãe [Patricia] e meu irmão [Morgan] diariamente”. Seu irmão mais velho também era conhecido por socar paredes – e Carey, a mais nova dos irmãos, escreve sobre uma briga feia com seu pai, Alfred. Para não ficar para trás, a irmã de Carey, Alison, certa vez jogou chá quente em Mariah.

3. Seu primeiro dia de cabelo bom. A contracapa do livro de uma Mariah de 7 anos foi tirada em Jones Beach. Carey, que estava constrangida com suas tranças emaranhadas, relata uma viagem de carro até a praia em que o amigo de seu irmão usou o pente para desembaraçar seu cabelo. Ela também se lembra de ter sido puxada para baixo pelas correntes marítimas naquele dia. “Eu estava um caco, mas meu cabelo não”, escreve Carey.

4. O que há em um nome? A admiração e a identificação de Carey com Marilyn Monroe são evidentes ao longo do livro. Ela até imagina que o primeiro nome de Monroe foi a inspiração para ela. Seu pai esclareceu tudo e disse a ela que ela recebeu o nome de Black Maria, uma van da polícia usada para transportar pessoas para a prisão.

5. Sendo intimidada. Carey, cuja mãe era branca e seu pai era negro, lida com franqueza com o preconceito que encontrou ao crescer. Especificamente, ela se lembra de um momento parecido com “Meninas Malvadas” em uma festa do pijama em Southampton, no qual ela parecia ter sido convidada apenas para que as outras garotas pudessem lançar insultos raciais contra ela.

6. Uma vida de conflito conjugal. Mottola parece um maníaco por controle total que uma vez a ameaçou com uma faca de manteiga. Durante a terapia de casal, Carey disse ao terapeuta: “Por que ele não pode simplesmente me deixar ir ao spa ou ao cinema, ou fazer qualquer coisa? Não fiz nada de errado!” Seu terapeuta disse: “Querida, não é normal. Por que você está agindo como se estivesse lidando com uma situação normal?”

7. Ele era literalmente um príncipe. Carey fala com carinho de várias divas (Whitney Houston, Aretha Franklin, Diana Ross) e do divo conhecido como Prince, que deu a ela “uma Bíblia encadernada em couro marrom escuro com letras douradas em relevo”. Ela chama Prince – que morreu em 2016 aos 57 anos – de “o irmão mais velho que eu nunca tive”, cujas palavras de encorajamento a acalmaram depois de fazer o filme megaflop “Glitter” (2001).

8. Ela ama seus “Lambs”. Lady Gaga tem seus “Little Monsters” e Carey tem seus “Lambs”, o nome para seus fãs que ela reconhece ao longo do livro. “Sempre busco minha principal fonte de força – fé em Deus”, ela escreve, “mas também o amor de meus fãs e de todas as pessoas que não desistiram de sua fé em mim”.

Fonte: News Day

A turnê em parceria com Lionel Richie, All The Hits Tour, já começou de forma inusitada: com alguns shows sendo reagendados para que Lionel pudesse se recuperar de uma cirurgia no joelho e Mariah se afastar ainda mais da trágica apresentação no especial de Ano Novo na Times Square.

Então, talvez não seja surpreendente que a passagem da turnê no Madison Square Garden no sábado à noite tivesse resultados mistos. O adiamento funcionou bem para Richie, que estava em boa forma ao longo de seu set de 90 minutos, parecendo pronto para dançar a noite toda. Mas o show de Carey foi algo bizarro e divertido que simplesmente não se encaixava em uma estrela da sua posição. Foi encantador à sua maneira, especialmente quando seus gêmeos, Roc e Roe, se juntaram a ela no palco para “Always Be My Baby”.

Houve momentos em que Carey sabia que ela estava sendo ridícula, como quando seu esquadrão de maquiagem entrou para dar uma retocada, enquanto ela ficou sentada em seu trono por volta de 20 minutos durante o show. “É demais?” Ela perguntou enquanto seu time retocava sua maquiagem e endireitava o véu de seu vestido dourado. Bem, sim, mas esse é o comportamento da diva que esperamos.

A parte mais estranha veio quando o DJ Suss-One entrou para tocar as músicas de Michael Jackson por cinco minutos, enquanto Carey trocava o figurino. De alguma forma, a artista solo com mais hits No. 1 na história precisa de um DJ para ajudá-la a preencher um show.

Esse é apenas o sinal mais óbvio de que Carey não está se esforçando. Sim, seu desejo de permanecer sentada tem sido bem documentado recentemente pelo seu antigo coreógrafo, e houve até um ponto em que ela foi carregada para o palco. Mas são os momentos em que Carey não canta o suficiente, que é mais confuso, mesmo durante momentos-chave como o clássico “One Sweet Day”, que tinha trechos onde ninguém podia ser ouvido cantando a melodia porque Carey estava improvisando.

Quando Carey canta toda a música, como fez durante “Vision Of Love” e “Hero”, sua voz ainda é deslumbrante, mas a multidão teve que ser convidada a aplaudir para que ela voltasse para “Hero”. Talvez ela pudesse pegar algumas dicas do show de Richie, que foi bem elegante e bem sucedido.

O relacionamento de Richie com o público, permite que ele salte entre o funk dos Commodores como “Brick House” e baladas como “Hello” e até mesmo incorporar surpresas como “Fancy Dancer” e “Just to Be Close to You”. Mas são as vezes em que ele está sozinho no piano, como em “Three Times a Lady”, onde ele realmente brilha e seu espírito chega em hinos como “We Are the World” e “All Night Long”.

“Meu trabalho é cantar todos os hits”, disse Richie depois de uma versão estendida de “Running With the Night”. E ele lidou com esse trabalho como um verdadeiro profissional.

Mariah Carey setlist:

  1. Set-list: Madison Square Garden. NYC, USA.

    Act 1
    1. Heat (Intro)
    2. I’m That Chick
    3. Heartbreaker (Remix)/Heartbreaker
    4. Touch My Body
    5. I Know What You Want (Snippet)
    6. My All
    7. Always Be My Baby
    8. Don’t Forget About Us
    9. One Sweet Day (with Daniel Moore & Trey Lorenz)

    Act 2
    10. It’s Like That
    11. Vision of Love
    12. We Belong Together/We Belong Together (Remix)

    Encore
    13. Hero

Mariah Carey teve um ano difícil. Entre seu divórcio com Nick Cannon e a recepção fria para o álbum “Me. I Am Mariah…The Elusive Chanteuse”, Mariah apresentou um sow natalino extraordinariamente divertido de 75 minutos, com um senso de humor maluco e com a voz mais poderosa de todas.

“Eu amo o Natal”, disse ela, acrescentando que não teria gravado dois álbuns com esse tema se não gostasse. “Eu acho que esses são uns dos meus melhores trabalhos”. Esses serão os únicos shows de Mariah Carey nos EUA esse ano. Ela preferiu levar a “The Elusive Chanteuse Show” primeiro para a Austrália e Oceania.

Algumas dúvidas surgiram sobre sua voz enquanto ela se apresentava com essa turnê, assim como sua apresentação na cerimônia de iluminação da árvore de Natal de Rockefeller. Mas essas preocupações acabaram. Sua voz estava em plena forma. As pessoas foram à loucura durante “O Holy Night”. A forma com que ela executava cada nota parecia ainda mais poderosa.

Ela não estava perfeita, mas até mesmo seus erros cativaram o público. O suporte de seu microfone rasgou seu vestido e ela gritou “Corta!”, enquanto cantava a única canção não-natalina da noite, “Hero”.

Para “Silent Night”, um coral de 20 pessoas e uma equipe de dançarinos, com também 20 integrantes, subiram ao palco para dar apoio. É raro ver Carey tão relaxada. E ela cantou cuidadosamente o hino “All I Want for Christmas Is You”, rodeada por bailarinos. Não importa as coisas que Mariah passou em 2014, suas festividades de fim de ano ainda são felizes.

Confira o setlist da noite:

Hark! The Herald Angels Sing
Charlie Brown Christmas
Oh Santa
Christmas (Baby Please Come Home)
Kids – Santa Claus is Coming to Town
Trey Lorenz and Broadway Inspirational Voices – Jesus Oh What a Child
Silent Night
Joy to the World
When Christmas Comes
Here Comes Santa Claus
Kids – I Saw Mommy Kissing Santa Claus
Broadway Inspirational Voices – Christmas Is Here
Christmas Is in the Air Again
O Holy Night
Hero
All I Want for Christmas Is You

MC2

O site Newsday.com fez uma matéria sobre a nova turnê de Mariah Carey e falou sobre os problemas que a cantora enfretou esse ano com o lançamento do álbum “Me. I Am Mariah…The Elusive Chanteuse”. Confira abaixo:

Mariah Carey: não tão indescritível em sua nova turnê

Este fim de semana, Mariah Carey dará o pontapé inicial na “The Elusive Chanteuse Show”, sua primeira turnê mundial desde 2006.

Isso é uma surpresa?

Bem, como praticamente tudo o que ela fez este ano, exceto sua separação explícita com o marido Nick Cannon, ela não está recebendo muita atenção.

A primeira etapa da turnê começa na Ásia e termina na Austrália, em novembro. Até o momento, nenhuma palavra sobre quaisquer datas nos EUA, embora a turnê provavelmente seja ampliada em 2015, quando ela irá promover o álbum “Me. I Am Mariah…The Elusive Chanteuse”, álbum aclamado pela crítica, mas comercialmente abaixo do esperado.

Embora esteja preocupada, Mariah resolveu seguir em frente – mesmo que ela tenha colocado o pé na estrada (com o melhor sapato, diga-se de passagem) e tenha sido praticamente ignorada. Até porque, ela não foi a única. Beyoncé, por exemplo, está tendo problemas com seu single, “Flawless”. As rádios não estão dando o devido valor, o que prova que nem sempre a qualidade musical é o mais importante, mostrando que esse fator é só parte da equação. No caso de Mariah, a falta de apoio para “You Don’t Know What To Do”, afetou bastante as vendas do álbum.

Mas para Mariah, a frase “quem ri por último, ri melhor”, faz mais sentido: a revista TIME fez um infográfico, coroando Mariah Carey como a maior popstar de todos os tempos, no que diz respeito a produzir grandes hits. O que prova que ela ainda tem muita coisa para mostrar.

O primeiro show da nova turnê acontece nesse sábado, 04/10, no Japão, às 17:00 (05:00 – no horário de Brasília) e promete grandes surpresa.

Continue de olho no Mariah Now para acompanhar esse grande dia!

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.