Mariah Now é a sua maior fonte brasileira sobre a Mariah Carey. O site é totalmente dedicado para os fãs da Mariah. Acompanhe notícias, vídeos, entrevistas, participe de promoções e eventos. Todo conteúdo divulgado no site é criado ou editado por membros da equipe, qualquer conteúdo retirado daqui, mantenha seus devidos créditos. Somos apoiados pela Universal Music Brasil e pela Sony Music Brasil.

Patricia Carey

“Eu ficava ASSUSTADA” – diz a irmã caótica de Mariah Carey sobre a infância traumática, em que ela foi abusada sexualmente, ela também falou que sobreviveu a um incêndio criminoso e que foi levada para reuniões “satânicas”.

De acordo com Alison, ela e seus irmãos, Morgan e Mariah eram levados para essas reuniões desse grupo oculto, e teme que sua irmã tenha sido tão vítima como ela, pois Mariah ainda era muito criança.

Alison atualmente está morando em um apartamento no subúrbio de Nova York, disse que um membro da família que liderava esse culto e ameaçou fazer algo com a Mariah, caso a Alison contasse sobre isso para alguém.

“Parece difícil acreditar e tento tantas lembranças que gostaria de nunca ter”, disse ela.

“Um familiar muito próximo costumava me acordar um pouco antes da duas da manhã e me levar a um antigo salão que parecia um castelo, ficava perto da igreja que frequentávamos em Huntington, Nova York. O lugar ainda está lá, eu poderia mostrar exatamente onde está. As cerimônias ou rituais eram sempre entre 2h e 4h e eles não eram todas as semanas, tanto quanto me lembro – eram apenas alguns dias. Todo mundo usava longas túnicas com capuzes pretos e andaria em duplas até este lugar. Por dentro eles começavam os rituais e cantavam em outro idioma – eu acho latim.” – declarou Alison.

“Eu nunca entendi o que estava acontecendo – eu lembro que havia algum tipo de mesa ou altar e eles cantavam e todos ficavam em círculo. Haveria cerca de 20 pessoas lá – incluindo crianças “. disse

Alison, que tem uma notável semelhança com sua famosa irmã mais nova, afirma que ela foi abusada sexualmente nas reuniões.

“Então coisas terríveis aconteceriam – coisas que uma criança nunca deveria ver.Eu fui abusada sexualmente lá. Eles me disseram que se eu não fizesse o que eles me disseram ou se eu contasse o que estava acontecendo, eles prejudicariam a Mariah. Imagine ser dito que quando criança? Claro que eu fui junto com o que eles disseram. Acho que tinha cerca de seis anos quando me lembro de ter ido lá e isso durou alguns anos. Eu nunca os ouvi dizer a palavra Satanás, mas a coisa toda era tão má, tão errada – tenho certeza de que eles eram adoradores de Satanás. Foi aterrorizante – algo que ficou comigo a vida toda. Eu não me lembro de ter visto Mariah  por lá, porque ela era muito mais nova que eu, mas isso não quer dizer que ela não estivesse lá. É impossível dizer “.

Em outra ocasião, Alison, que há vários anos se distancia de sua irmã cantora superstar, teve que sair de uma janela com Mariah, de três anos, depois que outro membro da família tentou incendiar sua casa.

Ela revelou como costumava esconder a jovem Mariah em armários e armários quando o membro da família entrou em fúria perseguindo-a com uma faca.

“Eu costumava esconder Mariah em um armário ou em algum lugar como esse eu pensei que ela estaria segura”, disse ela.

“Uma vez ele começou a derramar gasolina pelo corredor e fora da porta e ameaçou acendê-lo. Agarrei Mariah, saí pela janela e atravessei a rua para a casa de um vizinho em busca de ajuda. Isso foi apenas uma ocasião, mas eu sofri uma tremenda quantidade de abuso durante toda a minha infância – Várias coisas  que aconteceram comigo e você nem pode imaginar.” – relatou.

Alison, que vive com o HIV e luta contra o vício em drogas desde os seus 20 anos, está limpa há dois anos e atualmente está em um programa de metadona.

Dois anos atrás, ela foi atacada em sua casa por um intruso com um taco de beisebol e teve que fazer uma cirurgia no cérebro.

Seus ferimentos foram tão graves que os membros da família até desligaram sua máquina de suporte de vida – mas, milagrosamente, Alison se salvou!

Apesar disso, nem Mariah nem sua mãe, Patricia, visitaram Alison durante o período traumático – ‘Apesar de estarem a apenas 10 quilômetros de distância’, Alison afirma.

Na época, Morgan Carey classificou Mariah como uma “bruxa má” por ter abandonado a irmã doente.

Alison não fala com a sua irmã famosa há vários anos e nem sabe como chegar até ela.

No entanto, os irmãos  Carey eram próximos quando crianças – e Mariah até dedicou seu primeiro álbum a Alison, escrevendo “Este álbum é dedicado à minha irmã . Que ela continue brilhando”.

Alison diz que está com o coração partido desde que elas pararam de se falar – “Mas disseram para ela que eu quero o dinheiro dela,  mas eu só quero uma chance de ter um relacionamento novamente. É engraçado porque as coisas que eu acho que as pessoas esperam que eu diga para Mariah – essas não são as coisas que eu diria”, disse ela.

“Eu não estaria implorando por dinheiro, roupas ou comida. Só não foi minha intenção pedir para ela me ajudar com essas coisas,  não é isso que eu gostaria de fazer com ela. O que eu gostaria de dizer a ela é: ‘Mariah, eu sei que você passou por vários problemas e traumas em sua vida. Eu sei que às vezes  que você sente que o que você está lembrando realmente não aconteceu, sabe? Eu só quero que você saiba que se você precisar de mim,  basta pegar o telefone e me ligar e eu sempre aqui para te ajudar. Eu sei que você talvez nem queira ouvir as coisas que tenho a dizer, mas tenho a sensação de que você está passando por muita coisa na sua cabeça e talvez se pergunte por que está fazendo as coisas que você está fazendo. Eu entendo que você não queira  receber a minha ajuda, mesmo se eu quiser te ajudar de verdade.” – finalizou.

Representantes de Mariah Carey se recusaram a comentar quando foram contactados pelo The Sun Online.

Morgan Carey confirmou que ele e Alison foram levados para encontros ocultos quando criança, mas se recusou a comentar mais sobre esse assunto.

Fonte: The Sun

Em comemoração ao Dia Internacional da Mulher, o clássico de Mariah Carey, “Make It Happen”, foi escolhido para ser o tema de 2015 desse grande acontecimento histórico, para celebrar a vida e luta de todas as mulheres do mundo. Confira abaixo o texto publicado no Zâmbia Daily Mail:

“Make It Happen” é o tema de 2015 para o Dia Internacional da Mulher, que tem como objetivo estimular uma ação efetiva para o avanço e reconhecimento às mulheres. “Make It Happen” é um grande tema que deve deixar todo mundo animado para apoiar as mulheres.

O mundo comemorou quando a renomada cantora Mariah Carey cantou uma canção intitulada “Make It Happen”. Na letra, ela diz: “Eu estava abandonada e sozinha, sem um centavo no bolso. Muito jovem e com tanto medo, sem sapatos adequados para calçar. Às vezes eu não conseguia nem comer. Muitas vezes eu chorei até dormir, mas ainda assim eu tinha que continuar em frente. Nunca sabendo se eu iria aguentar, se eu iria conseguir passar a noite. Me agarrei a minha fé, eu me esforcei e rezei e agora eu encontrei meu caminho. Se você acreditar o bastante em si mesmo, e saber o que quer, você vai fazer isso acontecer. E se você se ajoelhar à noite, e rezar para o Senhor, ele fará isso acontecer”.

Quando criança, Carey vivia com a mãe, Patricia, em um pequeno apartamento em Long Island, Nova York. Elas eram pobres e tiveram que se mudar diversas vezes, por causa dos vários empregos que sua mãe teve. Como resultado, Carey frequentemente era transferida para escolas diferentes, e com 17 anos, ela se mudou para um pequeno estúdio de Manhattan com outras jovens para correr atrás do sonho de uma carreira na música. Mariah decidiu escrever uma canção que ilustra seu estilo de vida antes de seu sucesso.

Dito isso, as mulheres do mundo todo devem se apoiar e fazer com que esse tema seja realidade. As mulheres mais velhas devem encorajar as mais novas, para que isso as ajude a serem bem sucedidas e não competir umas com as outras.

[youtube id=”-Q6xx0JfMBI” align=”center” mode=”normal” autoplay=”no”]

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.