Mariah Now é a sua maior fonte brasileira sobre a Mariah Carey. O site é totalmente dedicado para os fãs da Mariah. Acompanhe notícias, vídeos, entrevistas, participe de promoções e eventos. Todo conteúdo divulgado no site é criado ou editado por membros da equipe, qualquer conteúdo retirado daqui, mantenha seus devidos créditos. Somos apoiados pela Universal Music Brasil e pela Sony Music Brasil.

Tablóides

O produtor musical Damizza falou tudo e mais um pouco sobre os anos de convivência com Mariah Carey e uma entrevista ao Daily Mail. Confira abaixo:

Por que ela anda por toda parte na ponta dos pés. E a verdade sobre essa regra de ‘nenhum contato visual’. O universo paralelo bizarro de uma lenda… revelado por seu ex-namorado.

Andando em torno do parque em saltos-altos enormes, cercada por uma comitiva de puxa-sacos, foi algo rotineiro quando Mariah Carey chegou à Disneylândia na semana passada. Um guarda-costas corpulento agarrou sua bolsa Louis Vuitton. O trabalho de uma mulher era unicamente segurar um guarda-chuva sobre a cabeça da estrela para protegê-la do sol.

E por que não, você pode pensar?

Afinal, Carey, de 45 anos, é conhecida como a diva das divas, uma das cantoras mais bem sucedidas de todos os tempos, a voz por trás de mega-sucessos como “Hero” e “All I Want For Chistmas Is You”. Seu talento ultrajante é igualado apenas por histórias de seu comportamento excessivo e demandas extraordinárias – como uma chegada às 02:00 da manhã, em um hotel de Londres, quando “Rainha Mimi se recusou a entrar na propriedade até que a gerência estendesse um tapete vermelho forrado com velas brancas”.

No entanto, nem tudo está bem com a mulher que já vendeu mais de 200 milhões de discos e está atrás apenas de Elvis e os Beatles em singles #1 nos EUA. Um retorno muito anunciado com performances ao vivo em Las Vegas, resultou em um cancelamento do terceiro show após uma bronquite, o que fez ela ser atacada por críticos que disseram que ela já não consegue atingir as notas altas que fizeram dela um ícone global.

Ela tem sido o centro das atenções no divórcio com apresentador de TV Nick Cannon, pai de seus gêmeos, Monroe e Moroccan, de 4 anos de idade.

E hoje um ex-namorado quebra o silêncio que envolve uma das celebridades mais rigidamente controladas no universo, dizendo ao Daily Mail que o mundo de riqueza e assessores bajuladores de Mariah Carey está empurrando-a para a beira de um colapso.

Damion Young é um dos raros casos que conheceram a ‘verdadeira’ Mariah, primeiro como seu produtor, então, como seu melhor amigo e, finalmente, como ele revela hoje, não apenas como seu confidente, mas seu namorado.

Ele diz: “Eu temo por ela. Eu era uma das poucas pessoas que ela realmente confiava para lhe dizer a verdade. Eu estou preocupado que ela não tenha nada parecido com isso agora”.

“Eu era seu produtor, seu namorado, seu melhor amigo. Ela não tomaria uma decisão sem falar comigo primeiro. Eu era muito apaixonado por Mariah, eu ainda sou”.

Damion, 40, trabalhou com Mariah em sucessos como “I Still Believe”, “CryBaby”“Irresistible”, e se tornou imerso no que ele chama de “loucura” do mundo privado dela.

“Mariah vive dentro de uma bolha. Eu vivi dentro do mundo dela por um tempo, mas eu tive que cair fora pela a minha própria sanidade. A coisa que eu mais lembro sobre estar com ela era o silêncio e a solidão. Ela não tinha muitos amigos. Por muito tempo eu fui seu melhor amigo”.

“As coisas se tornaram íntimas, mas a amizade sempre foi o mais importante. Acho que Mariah está passando por um momento difícil agora, porque ela se cercou de gente que só diz a ela o que ela quer ouvir. Eu acho que ela precisa de ajuda. Ela não tem um hit há anos. Eu acho que a agenda de Vegas é demais para ela. Ela precisa de repouso vocal. Mariah deve voltar a gravar discos, fazendo o que ela faz de melhor”.

Damizza é o segundo da esquerda para direita.

Damizza é o segundo da esquerda para direita.

Damion conheceu a diva em 1997, quando ele era o diretor musical da emissora de rádio de Hip-Hop de maior sucesso da América. Ele havia se consolidado como compositor e produtor de discos sob o nome artístico Damizza.

Ele foi coroado como o gênio que descobriu o rapper branco Eminem e tinha trabalhado com Snoop Dogg, Dr. Dre e Jay-Z.

Na época, Mariah estava no meio de um divórcio amargo com Tommy Mottola, que era o todo-poderoso chefão da Sony Records e o cara que a levou de uma infância pobre ao estrelato internacional.

Ela viria a dizer como se sentia “presa” durante seu casamento com Mottola e até mesmo referiu-se à mansão de £ 50.000.000 que eles dividiam, como a infame prisão de segurança máxima de Nova York, Sing Sing.

Mariah inicialmente teria abordado Damion para ajudá-la com sua carreira que estava decaindo. Ele lembra: “Ela queria se tornar relevante novamente e isso significava trabalhar com artistas de Hip-Hop, eu a coloquei em contato com Jay-Z”.

Ela ofereceu uma visão única em um mundo que parece tão involuntariamente cômico quanto assustadoramente esbanjador – um turbilhão de jatos privados, limusines e caprichos absurdos. Mas foi também uma existência de dores da solidão.
Ele diz: “Você acaba sozinho no final do dia. É uma vida muito solitária, triste de várias maneiras”.

“Aqui está você, a artista feminina que mais vendeu discos na história e não pode ir ao supermercado. Você não pode ir comprar uma caixa de leite”.

Damion e Mariah permaneceram amigos mesmo quando ela se encontrou com outros homens durante a sua amizade de nove anos.

Ela tinha acabado de começar a namorar a estrela do Pop latino Luis Miguel, quando ela foi com ele para a Coréia em 1999 para subir ao palco com Michael Jackson. Mariah pediu para Damion ir junto como acompanhante.

Damion diz: “Mariah me ligou às 6:00 da manhã e disse: ‘Hey, acorde, nós vamos para a Coréia’. Eu disse, ‘Por que eu tenho que ir?’ E ela disse: ‘Bem, eu não vou sozinha'”.

“É assim que a vida é quando você está com ela. Tudo gira em torno dela. Você está propenso a largar tudo e ir.

Então, nós entramos no jato e nós paramos para reabastecer no Alasca. Me lembro de estar sentado neste jato no meio de um campo de pouso vazio, pensando, ‘Isto é surreal. Estou sentado aqui com a artista feminina que mais vendeu discos na história e o maior artista latino masculino que mais vendeu na história,  à caminho para ver o artista masculino que mais vendeu na história'”.

Damion, Mariah e Luis Miguel estavam ao lado do palco, em Seul, quando show de Jackson começou.

Damion diz: “Eu estou testemunhando essa loucura que é a multidão no show de Michael Jackson. Ele está lá em cima, mas o mais bizarro era que entre as músicas ele vinha para o lado do palco para falar com Mariah sem perder o ritmo. Ele cantou “Billie Jean” e saiu, quase sem suar ou sem fôlego, e perguntou à Mariah algo chato sobre quem cuidou da contabilidade dela”.

“Então ele foi para uma sala, para colocar seu próximo figurino, subiu ao palco e cantou “Thriller” e, em seguida, veio até Mariah e continuou a conversa exatamente onde tinham parado alguns minutos atrás. Ele era um mestre do carisma. Ele apenas se aproximava dela entre as músicas, batia um papo por três minutos, trocava de figurino e voltava para o palco na frente de 100.000 fãs gritando”.

Durante o show, Mariah cantou “Hero” e “I Still Believe”.

Outra vez Mariah ‘tava afim de pegar um sol’. Damion lembra: “Entramos no jatinho e fomos para Cabo San Lucas, no México. Mariah disse que não era suficientemente quente”.

“Um assistente disse que estava um grau a mais em Acapulco, então nós voltamos para o jatinho e fomos para lá. No dia seguinte, ela queria ir para a Disney World, daí entramos no avião e fomos para a Flórida”.

Durante os períodos de “pouco trabalho” Mariah e Damion gastaram seu tempo principalmente no apartamento triplex que ela tem na área de Tribeca, em Nova York, assistindo seus filmes favoritos. “Ela não assistia ao noticiário. Ela não assistia a programas de entretenimento ou lia as revistas, porque ela estava preocupada em ler coisas ruins sobre si mesma. Ela é sensível”.

No apartamento, um lugar de destaque é dado a um piano de propriedade de Marilyn Monroe. Mas ele é bem protegido e nunca foi tocado, de acordo com Damion. Mariah tem quatro closets gigantes. Um deles é apenas para sua lingerie, outro apenas para sapatos.

Há também um divã de estilo romano na cozinha de mármore porque ela gosta de reclinar enquanto come.

“Mariah ia para a cama às 04:00 da manhã. Ela se levantava na parte da tarde, tomava café da manhã e então nós relaxávamos assistindo filmes. Se ela estivesse trabalhando ou se a saía, ela nunca via ninguém. Em seu mundo, os seguranças deixavam o caminho livre.

Se Mariah estivesse em um hotel, o lobby estaria seguro e ela seria orientada diretamente para o elevador. Então ela sobe em um elevador vazio para um andar, que já foi esvaziado pelo segurança. Em sua suite, o serviço de quarto está esperando por ela.

Ela nunca sequer via uma pessoa, não tinha qualquer interação normal. A única vez que ela via seus fãs eles estavam gritando e empurrando para chegar até ela. É assustador. É a vida em uma bolha. Ela está em uma caixa de vidro. Ela deixou de ser esta pobre menina, sem antecedentes familiares, para se transformar nesta máquina. Eu era a única pessoa que ela confiava. O maior subproduto da fama é que ela deixa as pessoas quase bipolares. Você vê Britney, você vê Justin Bieber, eles passam por essas coisas extremas, extremos altos e extremos baixos.

E eu sei o porquê. É porque você nunca tem qualquer realidade. Seu círculo bloqueia tudo.

Você olha para estas estrelas e acha que eles são tão excêntricas, mas é disso que o mundo delas é feito. Elas não têm conversas normais com pessoas normais. Ninguém nunca diz que elas estão erradas. É sempre, ‘Você é o maior, aquilo foi incrível’ – Mesmo quando não foi”.

Ele diz que Mariah muitas vezes tinha pouca idéia sobre as exigências que sua comitiva fazia, e ficou “chocado” ao saber que – assim como Jennifer Lopez – um dos seus contratos incluía uma cláusula dizendo que as pessoas não deviam olhar para ela ou falar com ela nos bastidores.

Damion disse: “Você não sabe que todo mundo já foi avisado – não olhar para ela e não falar com ela. Então, ela nem sequer sabe disso. Em um ponto, eu apenas lhe perguntei: ‘Por que tem isso no seu contrato?’ E ela dizia, ‘Isso está no meu contrato? Está realmente lá? Por quê?'”.

Quando ela estava no estúdio de Mariah era “incrivelmente focada”, mas seu frágil ego, combinado com o estresse do esforço para ser número um nas paradas, a levou a um colapso.

Damion estava ao seu lado em 2001, quando ela foi levada às pressas ao hospital sofrendo de exaustão e desidratação. Ele diz: “Quando ela estava se preparando para sair me mandou comprar algumas roupas para ela”.

“Eu arranquei um retrato de Mariah que tava em uma revista e fui para Macy. Entrei lá e um vendedor disse: ‘O que você está procurando?’. ‘Qualquer coisa que caiba em uma mulher exatamente como essa'”.

A roupa coube perfeitamente, mas Damion tinha cometido um erro enorme. “Eu tinha comprado um par de tênis Nike. Mariah disse: “Eu não uso tênis”.

“Ela teve que praticar caminhada nos tênis. Mesmo em casa, ela andava na ponta dos pés quando estava descalça. Ela costumava dizer que ela tinha usado saltos por tanto tempo que as pernas não funcionavam a menos que ela estivesse usando saltos”.

Na verdade Mariah uma vez disse a um jornalista: “Eu não posso usar sapatos baixos. Meus pés não aceitam”. No entanto, havia um lado doce em Mariah. Damion diz:

“Nosso relacionamento era como se fosse de amigos de colégio. A gente aprontava muito. Sim, tivemos um relacionamento romântico ao longo dos anos. É o tipo de coisa quando você trabalha há tanto tempo com uma pessoa e vocês passam tanto tempo juntos, que acabam tendo uma queda um pelo outro e vira o que virou.

Todo mundo sabia que estávamos passando 24 horas juntos. As pessoas e os tablóides tentaram fazer disso algo impuro. Eu não tive controle sobre algumas coisas que eles escreveram. Quando você está lidando com a panela de pressão que você vive em um mundo que não é seu. Foi uma das razões que eu, eventualmente, apenas decidi que já não dava mais”.

Damion admite que seu relacionamento “desmoronou”, quando ele mergulhou no mundo ‘falso’ das celebridades: “Eu era um garoto que tinha começado em uma estação de rádio e eu não consegui lidar com isso”, ele admite com franqueza. “Eu estava bebendo demais, até duas garrafas de vodka por dia. Eu estava me comportando de forma irregular”.

“Eu não dormia, eu badalava muito. Eu me comportei com Mariah em maneiras que lamento profundamente agora. Eu disse coisas quando eu estava bêbado que lamento.

Naquele momento eu era o único que estava perdido, não Mariah.

Eu sabia que pela minha própria sanidade eu tinha que sair fora. Eu perdi meu senso de realidade. Eu fiquei ressentido de que tudo girava em torno de Mariah. Mesmo quando era a minha festa de aniversário, nossos planos giravam em torno do que ela queria fazer. Eu fui do cara mais legal do lugar à um idiota completo.

Mariah, como qualquer estrela desse nível, nunca olhou para trás. Ela simplesmente continuou caminhando e foi isso que quebrou meu coração. Eu nunca tive meu coração partido antes. Eu estava apaixonado por ela e eu sei que ela me amava”.

Damion voltou para sua cidade natal, Santa Barbara, e se internou em uma famosa clínica de reabilitação para ‘ficar limpo’. Hoje ele trabalha como mentor de ex-membros de gangues e adolescentes problemáticos, e ainda produz gravações de rap.

Ele diz: “Eu gostaria de vê-la novamente. Eu nunca fui oportunista e nunca seria. Eu sou um cavalheiro. Mas esta é a minha história e ninguém pode me impedir de dizer isso”.

“Ela é uma mulher linda em todos os sentidos. Eu a amava antes, e ainda a amo. Espero que ela tenha sua vida de volta. Desejo a Mariah tudo de bom. É o que realmente quero”.

O tablóide inglês The Independent Online, publicou uma matéria onde Rihanna cita Mariah Carey como uma de suas inspirações na música. Confira abaixo:

Rihanna costumava imitar Mariah Carey. A cantora de “Diamonds” sabia desde cedo que queria ser uma cantora tão perfeita que acabava imitando seus artistas favoritos, como a dona do hino “Hero”, a cantora canadense Celine Dion e a lenda do reggae Bob Marley.

Ela disse: “Eu sempre fui atraída pela música e pelo canto. Aos oito anos eu já sabia que queria cantar. Eu amava Mariah Carey, Celine Dion, Bob Marley. Assistia seus vídeos durante todo o dia na TV, porque era isso o que se ouvia no Caribe. Eu começava a imitar tudo o que eu ouvia, tudo o que Mariah fazia, eu tentava fazer igual”.

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.