Mariah Now é a sua maior fonte brasileira sobre a Mariah Carey. O site é totalmente dedicado para os fãs da Mariah. Acompanhe notícias, vídeos, entrevistas, participe de promoções e eventos. Todo conteúdo divulgado no site é criado ou editado por membros da equipe, qualquer conteúdo retirado daqui, mantenha seus devidos créditos. Somos apoiados pela Universal Music Brasil e pela Sony Music Brasil.

Merry Christmas 20th

Desde o seu lançamento há 20 anos, não há nada melhor que anuncie o Natal do que  ouvir os sinos na introdução de “All I Want For Christmas Is You”. Duas décadas depois, a canção ainda ganha força na cultura popular a cada mês de Dezembro: entrando novamente nos charts, se emocionar ao assistir o filme “Simplesmente Amor”, que tem “All I For Christmas Is You” na trilha, e até mesmo fazer vídeos no Youtube em homenagem à esse clássico.

Dia 1º de novembro – esse final de semana, será o aniversário de 20 anos do single e do álbum “Merry Christmas”, que já vendeu mais de 15 milhões de cópias no mundo todo e é o álbum de Natal mais bem sucedido da história. Para homenagear as 2 décadas, a Billboard entrevistou o super produtor Walter Afanasieff que, além de co-produzir o álbum também participou da produção, junto com Mariah Carey, de todas as três canções originais e inéditas, incluindo “All I Want For Christmas Is You”.

“Mariah tentou superar a si mesma regravando a música com uma nova introdução, e então ela tentou regravar novamente na versão de 2011, com Justin Bieber”, Afanasieff lembra sobre a tentativa de Mariah de melhorar a música. “Você não pode reinventar a roda quando você tem algo que, pelos padrões do mundo, já é perfeito. Eu não estou dizendo isso para me gabar, mas é o que todo mundo diz:  ‘Nós não queremos uma nova versão; não queremos uma versão atualizada, nós só queremos a música original'”.

Afanasieff, que já havia trabalhado com Carey em “Vision Of Love”, “Emotions”, e “Music Box”, conversou com a Billboard sobre o processo de gravação de “Merry Christmas”, sua parceria musical com Carey, e por que, surpreendentemente, todo mundo “só quer a versão original” hoje em dia, mas ninguém pensou que “All I Want For Christmas Is You” seria um sucesso quando foi gravada originalmente.

Você pode me dizer sobre como o trabalho em “Merry Christmas” começou?

Afanasieff: Começamos a trabalhar no álbum de Natal em 1993. Cerca de três anos depois que nós começamos a trabalhar juntos. Mariah e eu começamos a escrever algumas canções para o que seria o seu álbum de Natal. A primeira música que escrevemos foi “Miss You Most (At Christmas Time)”. Era uma balada, uma música triste. E então nós escrevemos uma música clássica, meio Gospel, chamada “Jesus Born On This Day”. E então começamos a escrever o que Mariah queria fazer e o que Tommy [Mottola, presidente da Sony e então marido de Carey] queria fazer, algo do estilo de Phil Spector, tipo um Rock ‘N’ Roll das antigas, uma música de Natal que soasse meio anos 60.

Então, nós trabalhamos juntos, e eu comecei a tocar um Rock ‘N’ Roll puxado para o Blues, dando ênfase no piano com minha mão esquerda. E foi isso que inspirou Mariah para chegar com o melódico ‘I don’t want a lot for Christmas’. E então começamos a cantar e brincar com esse rock ‘n roll dançante, que imediatamente trouxe à tona o núcleo do que viria a acabar por ser “All I want For Christmas Is You”.

Das três canções originais, temos uma voltada para o Gospel (“Jesus Born On This Day”), um balada (“Miss You Most (At Christmas Time)”), e um é Pop Rock (“All I Want For Christmas Is You”). Foi uma decisão específica entre você e Mariah feita para mexer com diferentes gêneros, ou isso aconteceu naturalmente?

Isso veio em respeito ao Natal. Há sempre três diferentes áreas que a música de Natal flerta: canções tradicionais de Natal, canções divertidas, como “Rudolph” ou “Frosty”, e então você tem as canções de amor, que são como “Chestnuts Roasting On A Open Fire”, “I’ll Be Home For Christmas”, todos esses tipos de músicas. Então decidimos escrever uma de cada tipo.

“All I Want For Christmas Is You”, que começou a ser escrita em um encontro e com um piano, demorou quanto tempo para que o produto final ficasse pronto?

Nós tinhamos sempre o mesmo tipo de esquema. Escrevemos o núcleo da canção, a melodia principal da música, e depois, algumas das letras já estavam lá quando estávamos terminando de escrever. Essa música foi muito rápida: Foi uma música muito fácil de escrever, mais do que outras que fizemos juntos. Foi como uma receita de bolo; não teve um monte de mudanças de acordes. Eu tentei fazê-la um pouco mais original, colocando alguns acordes especiais que você realmente não ouve muito por aí, o que a tornou única e especial. Eu acho que é um dos componentes que a tornaram única ano após ano. Essa parte do processo levou talvez uma hora, e então eu fui para casa.

Em seguida, nas próximas 1 ou 2 semanas, Mariah iria me ligar e dizer: ‘O que você acha dessa essa batida?’ Nós conversamos um pouco até que ela conseguiu as letras, tudo bem organizado e finalizado. Então nós apenas esperamos até que as sessões começassem, no verão de 94, onde nos reunimos em Nova York e começamos a gravar. E foi aí que nós a ouvimos cantar a música pela primeira vez no microfone, e o resto é história.

[youtube id=”yXQViqx6GMY” align=”center” mode=”normal” autoplay=”no”]

Na época, você achou que “All I Want For Christmas Is You” seria o grande hit do álbum?

Nããão. Há 20 anos, músicas e álbuns de Natal de artistas não eram o grande negócio que eles são hoje. Naquela época, você não tinha um monte de artistas com álbuns de Natal; Não era uma fórmula conhecida naquela época, e não havia ninguém que fazia grandes e novas músicas de Natal. Então, nós íamos lançar o álbum como algo corriqueiro, tipo ‘Ei, você sabe, nós estamos colocando no mercado um álbum de Natal. Não é grande coisa’. Para pensar nisso como um single que vai ser #1, que vai ser o carro-chefe de um álbum…nós não tínhamos a menor  idéia do que seria. Isso não condizia com a época. Isso é o que a tornou um fenômeno moderno: Porque não é como “White Christmas” ou “Jingle Bells” – a música não tem qualquer um desses elementos tradicionais, mas se tornou um grande hit Pop.

Você mencionou que há muitos álbuns de Natal hoje. Sendo assim, por que não temos visto um outro hit no mesmo nível?

Eu não estou totalmente certo do que dizer, porque para mim, é um tipo de ocorrência cósmica que acontece uma vez a cada cinco bilhões de anos. A propósito, milhares de canções originais de Natal foram escritas nos últimos 20 anos. Não é como se ninguém escrevesse canções de Natal – todo mundo está tentando ter A canção de Natal. Mas por alguma razão “All I Want For Christmas Is You” se tornou essa música. É o tipo de coisa que você nunca teria pensado, e você não pode realmente explicar o porquê, e nos sentimos sortudos, porque foi a última grande canção a entrar na indústria do Natal, e em seguida, a porta se fechou. Apenas se fechou.

Tenho certeza de que vai haver uma outra; tem de haver. Mas tem que ser o artista certo, na hora certa, as palavras certas e a melodia certa para o momento cultural certo. Tornou-se nossa música há 20 anos, e ela simplesmente continua crescendo e crescendo. Eu acredito que “All I Want For Christmas Is You” será a canção popular de Natal de maior sucesso de todos os tempos.

Concordo com você sobre a canção estar ficando cada vez mais forte! Foi um enorme sucesso antes, mas acho que a canção se tornou uma parte tão importante do filme “Simplesmente Amor”, de 2003, e depois que o filme se tornou um sucesso grandioso, só ajudou a canção ganhar ainda mais força.

Com certeza. E lembre-se, isso é outro fenômeno que devemos prestar atenção. Mariah Carey muito, muito raramente permite que alguém grave qualquer de suas canções em qualquer filme ou série ou qualquer outro meio. Mas Mariah deixou que aquela garotinha a cantasse em “Simplesmente Amor”, e essa é a única vez que ela permitiu. Imagine se Mariah tivesse dito ‘sim’ a qualquer uma das outras centenas de pedidos de outros filmes e todas vezes em que canção seria gravada. Eu não tenho nenhuma dúvida, a canção teria sido 20 vezes mais popular. Vamos ficar com aquele filme, com aquela garotinha cantando a música.

Você sabe o motivo de Mariah ter liberado a música para “Simplesmente Amor”?

Não sei. Eu acho que ela só tinha uma afeição especial pelo filme; ela gostou do roteiro e ela gostou dos atores. Tenho certeza que ela pensou, “é uma garotinha, é o momento certo”. É um filme muito fofo e bonito, e se tornou um clássico filme de Natal. “Simplesmente Amor” nos últimos 10 anos tornou-se um dos maiores filmes de Natal. Isso, por sí só, já da para prever que em 10 ou 20 anos, se tornará ainda mais um clássico de Natal, e isso ajuda a nossa música a ser incorporado ainda mais como um clássico em nossa cultura. É impressionante.

Eu sei que no passado Mariah mencionou que ela adoraria fazer uma adaptação para o cinema de “All I Want For Christmas Is You”. Você tem uma opinião sobre isso?

É o seguinte. Nós não temos um relacionamento, Mariah e eu. Nós compartilhamos um momento em nossas vidas, mas em seguida, ela teve que se separar do resto de nós. Assim, com toda a sua angústia pessoal e emocional, sua separação com seu marido significava que ela tinha que se separar de todos nós. Estas foram as suas escolhas pessoais…Ela deixou as coisas seguirem o curso natural, de modo que não temos trabalhado juntos desde o álbum “Butterfly”. Eu não conheço nenhum de seus planos ou decisões para o futuro sobre as coisas que eu criei com ela. Espero que eu veja alguma coisa este ano, sendo que é o 20 º aniversário, mas eu não tenho visto ou ouvido nada.

Sobre as canções de Natal clássicas do álbum, como você e Mariah decidiram quais iriam ser gravadas?

Era sempre uma decisão conjunta entre Mariah, Tommy e a gravadora. Então Tommy sendo o presidente da gravadora e seu parceiro e marido, estávamos sempre sujeitos a sua opinião e orientação. Mariah realmente teve sabedoria, porque se você não tem o apoio da gravadora, fica muito difícil. Você precisa ter a parceria. Mariah também tinha estilos específicos que ela queria cantar; ela queria uma variedade que realmente representasse a voz dela e a levasse para lugares que ela normalmente não conseguiria ir com sua carreira Pop.

Você já trabalhou com tantos artistas icônicos ao longo dos anos. Qual é a fórmula para uma parceria bem sucedida de composição ou produção?

Para mim, a chave para qualquer colaboração é certificar-se de que você está mantendo sua integridade intacta e que você é fiel a si mesmo, porque hoje é muito difícil fazer isso por causa da alta rotatividdae, as pessoas tocam na rádio fazendo um coisa muito específica hoje. Você não pode simplesmente fazer o que quiser e tocar na rádio como nos velhos tempos. Então, as pessoas têm se vendido, e realmente indo por um caminho muito estreito de criação de música apenas para tocar na rádio. Isso para mim é uma parte muito ruim sobre o ramo da música. Estou muito triste com isso e não apoio esse tipo de coisa.

Eu amo todas as músicas. Se você tem algo a dizer, você deve ser capaz de dizer isso e eu acho que se você tem algo a dizer as pessoas devem ser capazes de ouvir, se quiserem. Nos velhos tempos, e eu estou falando de cerca de 20 anos atrás, nós estávamos trabalhando com Whitney Houston, Celine Dion, Mariah Carey, Michael Bolton, New Kids on the Block. Estávamos todos trabalhando lado a lado para criar música que tiveram integridade e sua força e estilo estava brilhando com artistas imortais. Hoje é difícil encontrar artistas imortais na música Pop que está sendo produzida. Então, esse é o meu discurso. Todo mundo teve seu momento de glória, mas os que guardaram o seu momento de glória para sempre foram aqueles que foram fiéis a si mesmos.

Deixe sua opinião

Este artigo não possui comentários
Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.