Mariah Now é a sua maior fonte brasileira sobre a Mariah Carey. O site é totalmente dedicado para os fãs da Mariah. Acompanhe notícias, vídeos, entrevistas, participe de promoções e eventos. Todo conteúdo divulgado no site é criado ou editado por membros da equipe, qualquer conteúdo retirado daqui, mantenha seus devidos créditos. Somos apoiados pela Universal Music Brasil e pela Sony Music Brasil.

Nos anos 90, Mariah Carey parecia ser tão perfeita e tinha uma sequência imbatível de músicas e discos de grande sucesso. Mas na década de 2000, ela parecia estar caindo no ridículo, especialmente após aquele estranho episódio onde apareceu distribuindo picolés no TRL da MTV.

Quatro anos após isto, Mariah Carey encenou o grande retorno ao cenário musical com o disco The Emancipation Of Mimi, que está completando 10 anos de idade – e garantiu que a cantora sobrevivesse aquele episódio do TRL (que acabou tornando-se um programa extinto da tv norte-americana). Os comebacks na música pop nem sempre são fáceis, mas temos visto muitos tentarem voltar e terem sucesso.

Em 2001, Carey fez uma aparição surpresa no TRL para promover seu filme Glitter e a trilha sonora do projeto, ambos fracassaram, tanto para os críticos como para os fãs. Ela foi hospitalizada por exaustão no trabalho, e isto fez com que a Virgin Records rompesse o seu contrato musical por 50 milhões de dólares. “Mas não seria um simples trilha sonora que arruinaria a minha vida”, disse Carey para o New York Times. Então, ela fez uma pausa, assinou com a Island Records e e tentou encontrar a sua voz novamente. O seu próximo álbum, Charmbracelet passou despercebido, mas quando ela lançou o disco The Emancipation Of Mimi, Carey teve a oportunidade de relançar a sua carreira da mesma maneira que a conhecemos.

O single “We Belong Together” passou 14 semanas em no Hot 100 da Billboard, tornou-se o hit do verão de 2005, e redefiniu o nome Mariah Carey para o mundo.

Fonte: Bustle

Deixe sua opinião

Este artigo não possui comentários
Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.