Mariah Now é a sua maior fonte brasileira sobre a Mariah Carey. O site é totalmente dedicado para os fãs da Mariah. Acompanhe notícias, vídeos, entrevistas, participe de promoções e eventos. Todo conteúdo divulgado no site é criado ou editado por membros da equipe, qualquer conteúdo retirado daqui, mantenha seus devidos créditos. Somos apoiados pela Universal Music Brasil e pela Sony Music Brasil.

A data era 3 de outubro de 1995: O álbum ‘Daydream’ de Mariah Carey acabava de ser lançado, após o disco natalino ‘Merry Christmas’ que fez um enorme sucesso no Natal de 1994, dando para nós uma das músicas natalinas mais famosas de todos os  tempos. Neste ponto de sua carreira, Carey poderia muito bem continuar seguindo a linha pop, mas com o ‘Daydream’, ela mudou completamente este caminho.

Carey queria fazer um som diferente de seu trabalho mais antigo, e ela se reuniu com um jovem produtor de Atlanta chamado Jermanie Dupri. No início dos anos 90, alguns de seus colegas da Columbia Records, Kriss Kross e Xscape trabalharam com Dupri fazendo hip-hop e R&B. Com Carey, eles criaram um casamento entre dos dois gêneros.

Se você perguntar para Dupri, foi Carey que liderou a fusão entre o hip hop e o R&B, que é muito comum nos dias de hoje. O dono do selo So So Def co-escreveu e produziu duas músicas do ‘Daydream’, ‘Long Ago’ e ‘Always Be My Baby’. Esta última em especial levou a Carey para um clube especial, na época ela ficou ao lado de Whitney Houston e Madonna como as cantoras que mais possuíam singles em 1° nas paradas.

Em 1995, Mariah Carey tornou-se uma grande estrela de verdade.

Para comemorar o 20° aniversário do ‘Daydream’, o Bet.com resolveu voltar ao tempo e conversar com Dupri para saber como foi o processo de criação de seu primeiro trabalho com Mariah Carey.

BET.com: Como você se conectou pela primeira vez com a Mariah?

Jermaine Dupri: Através da Columbia Records, de onde a So So Def fazia parte, Kris Kross foi para Columbia Records e graças ao sucesso deles, isto alimentou o meu encontro com o a artista número 1 da Columbia e o Tommy Mottola, e CEO da Columbia Records, então me senti como se eu fosse o produtor mais quente do momento. Mariah estava começando ali a sua fusão da música pop com o hip hip, colocando todas aquelas músicas que você ouve agora em ascensão. Ela foi responsável pelo nascimento disto. Foi tudo ideia dela, em ir ao estúdio comigo.

Vocês tiveram uma química instantânea?

Eu não diria que foi ‘instantânea’, porque eu não nós realmente sabíamos o porque ‘Always Be My Baby’ foi o terceiro single do álbum, bem diferente das pessoas saindo por aí dizendo ‘Este é o meu primeiro single!’, eu penso que fiz muitas músicas legais e fiquei feliz por ter feito músicas para o álbum, mas quando você é produtor, se você não tem o primeiro ou o segundo single de um álbum, você sente que ainda tem muito mais trabalho a ser feito. Para mim, eu me senti como senão tivesse atingido meu objetivo. Nós trabalhamos juntos, mas o fato de eu não ter conseguido o primeiro ou segundo single com as duas músicas que eu fiz para o Daydream, eu me senti que eu não fiz o que eu realmente deveria ter feito.

Você sentiu que tinha algo para provar?

Não, eu não penso assim. “Always Be My Baby” é provavelmente um dos meus maiores trabalhos, porém o menos creditado. Ela soa como uma tradicional canção de pop, R&B. Nenhuma das inspirações desta música veio de alguma música de rap, ela era parecida com algo que tinha feito com o Xscape. Se eu estivesse copiando algo, provavelmente era algo do Xscape, era disso que ela gostava.

Como vocês chegaram ao conceito de ‘Always Be My Baby’?

Nossos trabalhos em estúdio começavam às 9 da manhã e iam até 17:30. Tínhamos que acabar neste horário, pois Tommy ia buscá-la todos os dias para eles irem jantar. Isto era diferente de qualquer coisa que já tinha visto na minha vida. Eu nunca tinha estado em um estúdio no período da manhã para nenhum outro artista, ela foi a primeira. E dois, isto acaba com qualquer clima, não importa se você ainda tivesse fazendo a música, ela tinha que sair antes das 18h. Eu era da época que ficava dentro do estúdio até a música estar finalizada, então como uma  pessoa é obrigada a sair do estúdio porque ela tem horário para jantar? Foi uma experiência muito estranha para mim, mas a música inteira na verdade veio da Mariah. Não lembro de eu ter muita influência escrevendo naquela música, liricamente falando. Foi tudo feito por ela, eu gosto de dizer isto por causa do tempo e dinamismo que tivemos, eu tinha que me ajustar. Eu estava acostumado a ficar a noite inteira em estúdio, então com ela eu só poderia ficar no período matinal. Acho que nós fizemos a música e logo depois eu cai de sono, porque eu ainda estava tentando a me adequar naquela restrição de horário que era estipulada para ela.

Quer dizer então que Tommy Mottola deu uma freada no processo?

Ele auxiliou no processo, porque fomos nós que fizemos ‘Always Be My Baby’. Tudo o que fiz foi criar tudo o que viria após disto. Parecia que eu já conhecia a Mariah a minha vida toda, e este álbum foi o começo de tudo. Eu acho que ele não deu a chance de ficarmos mais próximos, criativamente falando, como deveria ter sido para o projeto, mas chegamos o perto o suficiente para saber que quando trabalhamos juntos será para sempre algo muito especial.

Como trabalhar com Mariah mudou a sua carreira?

Ela me fez  ficar rico [risos]. Antes, as pessoas só davam atenção para as coisas que fiz com Kriss Kross e Xscape. Eu não falei para ninguém que ‘Always Be My Baby’ era minha canção. Mas o sucesso dela me solidificou como o produtor número 1 da Columbia Records, é isto que posso dizer. Meu relacionamento com a gravadora me fez ir para a lista ‘A’ de produtores. Eu tinha uma canção em 1° com a artista mais famosa do momento, eu poderia fazer tudo o que tinha vontade. Tornou-se mais fácil para mim trazer a Da Brat para o estrelato, que era a próxima artista que eu iria lançar, tudo se tornou mais fácil.

O que você acha que deu esta toda esta durabilidade de sucesso para Mariah?

As canções, uma boa música é como o respeito. O respeito não te leva a lugar algum, mas ter ‘um corpinho bonito’ sim, mas quando as pessoas te respeitam, o respeito vai durar o quanto as pessoas poderão conta a história de como o respeito foi adquirido. Músicas que eu não tinha nada a ver, ouço as pessoas falando a mesma coisa a respeito. “Esta música marcou a minha vida, quando eu estava deprimido e queria me matar e então escutei esta música…”. Então, muitas canções que ela escreveu ouço seus fãs contar histórias relacionada a elas. Ela é uma compositora fenomenal. Acho que o fato dela ser casada com o Tommy Mottola, não deu oportunidade para ela sair da toca e se misturar com outras coisas, mas ela ainda podia fazer músicas. E isto a fez se tornar uma incrível compositora.

O que acha do R&B nos dia de hoje?

Eh acho que o R&B está em uma fase muito ruim, assim como o nível de pessoas que fazem canções de R&B, as pessoas realmente temem em cantar sobre algo que faz sentido. Os artista acham que ninguém vai ouvir uma canção que pareça que eles estão cantando de verdade. O R&B praticamente sumiu, e estou realmente preocupado com isto.

Existe alguma maneira de corrigir isto?

Trazer para o cenário pessoas que realmente podem cantar, uma artista como a Mariah Carey. Quando ela surgiu, eu não tenho certeza se alguém disse para ela: “Você será a maior artista da gravadora” ou “Você será a maior artista do mundo”. Eu tenho certeza que o Tommy disse isto para ela, mas na época nós estavamos acostumados ouvir nas rádio artistas que realmente sabiam cantar. O fato deles saberem cantar era realmente incrível, e isto era o suficiente, nesta época nós tinhamos que encontrar ‘grandes canções’ para eles cantarem. Era assim como o Clive Davis costumava dizer sobre Whitney Houston, ‘Tudo o que tenho que fazer é dar canções incríveis para ela cantar, para ela me dar de retorno grandes músicas.’ Nos dias de hoje, nós temos buscado por artistas assim. Nós temos que trazer de volta este de tipo de cantoras para os dias atuais. Eu acho que a última pessoa que as pessoas chamavam de ‘grande cantora’ foi a Christina Aguilera. Quando ela lançou seu primeiro disco, todos comparavam demais ela com a Mariah, todo mundo dizia que ela era boa,mas realmente, eu nunca mais vi artista deste gênero, especialmente artistas urbanos

Além de Mariah, Janet Jackson também fez um retorno no cenário musical, o que você acha da nova música dela?

Eu acho que a nova música da Janet é legal. Eu ainda não ouvi as canções de seu novo álbum, mas acho que a canção que ela lançou parecia algo da antiga Janet Jackson. Algo como, se fosse fã da Janet Jackson, você não ficaria chateado com esta música. Com a Mariah, eu tenho uma opinião diferente sobre o que ela faz, pois eu sinto que ela é tão respeitada, ela  pode ser a pessoa  que faria com que grandes cantores voltassem ao cenário musical, basta ela querer.

Deixe sua opinião

Este artigo não possui comentários

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.