Mariah Now é a sua maior fonte brasileira sobre a Mariah Carey. O site é totalmente dedicado para os fãs da Mariah. Acompanhe notícias, vídeos, entrevistas, participe de promoções e eventos. Todo conteúdo divulgado no site é criado ou editado por membros da equipe, qualquer conteúdo retirado daqui, mantenha seus devidos créditos. Somos apoiados pela Universal Music Brasil e pela Sony Music Brasil.

Normalmente, em meados de novembro, tudo o que ouvimos de Mariah Carey é outro renascimento de seu lendário jingle de Natal. Este ano, não só a sua trilha sonora de Glitter cruelmente subestimada está voando alto nas paradas do iTunes, mas nós temos um novo álbum, Caution, seu primeiro material novo em mais de quatro anos.

Os últimos anos não foram sem drama para a Elusive Chanteuse, por isso é particularmente maravilhoso ouvi-la de uma forma tão brilhante. A precaução começa com o clássico do meme instantâneo da internet GTFO, onde uma antiga faixa melancólica se transforma em uma desavença brutal. Algumas brincadeiras de Carey sugerem que ela é muito mais brava do que realmente aparenta.

Isso define o tom para um álbum limpo de apenas 10 faixas. Nós a encontramos em modo de administração de vida, limpando qualquer lixo dispensável que ela não tem mais tempo para gastar. A No No é um hino fodido, com você roubando o ex-empresário com uma letra épica “cobras na grama, é hora de cortar o gramado”; O uso da palavra não poderia ser um sinal para Gretchen Wieners derrubar a rainha  Regina George. Em outro lugar, a faixa-título encontra Carey no semáforo âmbar; ela é vulnerável e hesitante, mas honesta e esperançosa em embarcar em uma nova jornada. Soa como o Destiny’s Child nos seus melhores dias, este é um dos destaques do álbum.

Há alguns momentos otimistas, com Carey vendo o arco-íris no final da tempestade. With You é uma grande mudança do GTFO e celebra um amor verdadeiro e duradouro, sustentado por um linda melodia e algumas harmonias dolorosamente tenras. The Discance é um retrocesso divino e elevado com o apoio de Ty Dolla $ign. O 8th Grade é tenro e nostálgico com a quantidade certa de Timbaland, enquanto One Mo ’Gen encontra Carey no melhor estilo Samantha Jones de ser com um hino pulsante que canaliza o R&B dos anos 90.

Com a produção de Blood Orange no Giving Me Life, não é de surpreender que este seja o momento mais definidor e eclético do álbum. Com os ecos de The Roof e The Beautiful Ones do icônico álbum Butterfly, o refrão é um clássico imediato e o desmembramento no final da música é uma vitrine deslumbrante daquele alcance vocal em um cenário de guitarras elétricas.

O álbum fecha com faixa que lembra a antiga a Mariah, a balada Portrait.Nós a achamos mais etérea e reflexiva, e a narrativa se concentra na relação que Carey tem consigo mesma. Os gloriosos vocais até o final são verdadeiramente magníficos e a faixa é um final adequado e definitivo para um álbum tão catártico e fenomenal.

A mensagem de Carey aqui é clara. Você pode entrar em sua vida, mas faça valer a pena e não não faça ela perder o precioso tempo. É por isso que seus Lambs nunca ficam em silêncio em sua adoração perpétua. Sublime.

Nota: 5 de 5 estrelas

Fonte: Musicomh

Deixe sua opinião

Este artigo não possui comentários

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.