Mariah Now é a sua maior fonte brasileira sobre a Mariah Carey. O site é totalmente dedicado para os fãs da Mariah. Acompanhe notícias, vídeos, entrevistas, participe de promoções e eventos. Todo conteúdo divulgado no site é criado ou editado por membros da equipe, qualquer conteúdo retirado daqui, mantenha seus devidos créditos. Somos apoiados pela Universal Music Brasil e pela Sony Music Brasil.

anniversary

No 25º aniversário do MTV Unplugged de Mariah Carey, é hora de dar os devidos créditos a sua dona.

Nesta semana, celebramos o 25º aniversário do MTV Unplugged de Mariah Carey. É um dos maiores testamentos de seu talento e atitude – e também é uma de suas obras mais subestimadas.

Claro, em 1/4 de século desde o seu laçamento, chegamos a conhecer uma versão muito específica de Mariah. Nós ouvimos sobre a vida luxuosa que ela deu aos cães, a linha de produtos de beleza que (dizem) ela vai lançar, e relatórios detalhados sobre o seu relacionamento com Bryan Tanaka. Sabemos que Carey se coroou a Rainha do Natal e a Rainha de tomar um banho enquanto usava apenas diamantes, e que ela veio para encarnar tudo que uma verdadeira Diva deveria ser.

E isso tudo é adorável. Mas não deixe distraí-lo do fato de que Mariah Carey pode cantar. Porque enquanto ela pode ter feito playback na Times Square na véspera de Ano Novo (e, realmente, quem se importa se ela fez isso?), ela certamente não fez no Kaufman Astoria Studios, há 25 anos.

Quando o MTV Unplugged foi gravado e lançado, ele surgiu após uma resposta um tanto morna ao álbum Emotions de 1991 – um álbum que alguns críticos sentiram mostrar a gama de Carey, mas ficou pequeno em termos de expressão artística. Além disso, ela ainda tinha que fazer turnês, o que levantou questões sobre se ela poderia realmente cantar ao vivo. Então, Mariah entrou em um estúdio no Queens e gravou o que iria se tornar o acústico mais reprisado da amada série da MTV, e um EP que atingiu o o 3 lugar nas paradas da Billboard. Com seu Unplugged, ela mostrou o equivalente musical de “Eu vou te mostrar o quão valiosa Elle Woods pode ser” (citando a frase clássica de Reese Witherspoon no filme Legalmente Loira).

Tudo mudou com esse EP. Ele mostrou que a voz de Carey era incomparável – algo que todo mudo já tinha ouvindo dois anos antes, mas também mostrou seu inconfundível calor e personalidade. Críticos elogiaram seu carisma e a maneira como ela interagiu com o público. Então, sim: Mariah há muito se estabeleceu como cantora, mas o MTV Unplugged a consolidou como uma estrela Pop.

Nas palavras de um artigo brilhante da Entertainment Weekly em dezembro daquele ano: “O visual de Carey…foi uma proeza vocal, não deixando dúvidas que, além de suas notas de tirar o fôlego, ela desenvolveu uma presença de palco sensacional…esta aparição pública rara nos lembrou que havia um artista de grande porte dentro daquele vestido de festa”.

O que, referências sexistas a sua roupa aparte, prova o ponto alto do MTV Unplugged de Mariah. Considerando que as aparições públicas de Carey foram tão poucas em 1992, uma escala tão massiva e de prestígio, elevou seu perfil, precisando sair em turnê ou ter que confiar no boca a boca para provar que ela poderia realmente cantar ao vivo. Em vez disso, ela debateu a controvérsia sobre a autenticidade de sua voz em um especial nacional de televisão, atraente direto para uma ampla audiência enquanto silenciava os críticos com seu alcance e sua profundidade. Ela assumiu o controle de sua narrativa profissional e estabeleceu as bases para o que o resto de sua carreira viria a se tornar: Mariah fazendo o que Mariah quer fazer. Porque ela pode, e porque ela mereceu.

E nós apenas a vimos fazer o mesmo desde então. Durante o resto da década de 1990 e até a década de 2000, a voz de Carey permaneceu constante, com seu catálogo de singles servindo como reiteração regular do que ela é capaz. Mesmo quando a vida pessoal de Mariah ou a presença das mídias sociais começam a ofuscar suas habilidades musicais, dar o play em “I’ll Be There” é um lembrete de que a mulher passou um quarto de século quebrando a barreira do som e ganhou de quebra qualquer excentricidade que ela queira participar. E se alguém tiver algum problema com isso, talvez possamos mostrar uma lista enorme de faixas ao vivo na frente de um público qualquer.

Além disso, aquela jaqueta de couro era uma coisa de outro mundo.

Queridíssimo pelos lambs, o #1’s é um álbum de tirar o fôlego de qualquer fã de Mariah Carey¸ afinal, ele reúne os singles que foram #1 nos EUA 1990 a 1998, além de faixas inéditas, afinal Mariah Carey foi a grande revelação da música no início dos anos 90 quando surgiu nas rádios dos EUA com a incrível Vision of Love e, incrivelmente, de lá até então o sinônimo de Mariah é sucesso.

Capa do #1's

Capa do #1’s

A trajetória da diva que conquistou nada menos que 4 músicas no topo da Billboard com seu primeiro álbum, precisava ser contada por meio de um álbum com suas grandes músicas. Mimi confessou que ela poderia escolher outras músicas para compor sua lista das suas melhores músicas que até então teria interpretado, mas como tratava-se de uma edição de músicas que chegaram ao topo, a coletânea foi lançada como um presente para os fãs que lhe ajudaram a alcança-lo logo nos primeiros meses de carreira. Ao todo eram 13 músicas que chegaram ao #1 da Billboard Hot 100 nos EUA (1998), mais faixas inéditas como o sucesso When You Believe com Whitney Houston.

Talvez esta seja a coletânea mais querida pelos lambs, pois não foi à toa que só nos EUA as vendas marcaram mais de 5.000.000 de álbuns. Ele também está na lista dos mais vendidos até hoje, pois é mundialmente bem recebido pelo público por conter as principais faixas dos primeiros álbuns da carreira de Carey.

Para melhor comercializar o álbum, Mariah Carey se juntou a Jermaine Dupri na faixa Sweetheart que foi o lead single do álbum, porém a música é originalmente de Dupri, mesmo tendo entrado na compilação e tendo sido a escolha para a primeira música de trabalho. Ele não registrou grandes posições se comparado aos anteriores por ter tido um lançamento mais limitado, abrindo espaço para o segundo single, rapidamente, antes mesmo do álbum ser lançado. A compilação rendeu a Mariah milhões de vendas no mundo todo e uma excelente recepção comercial por parte do público, surpreendendo a gravadora devido às altas vendas nos EUA e Europa. Hoje as estimativas chegam a 19.000.000 de cópias mundialmente.

OS HITS

As faixas do álbum não foram escolhidas a dedo, mas sim tendo como base os charts americanos, porém Mimi, simplesmente, presenteou a lambily com 5 canções que não estrearam no álbum Butterfly (1997) nem estariam escaladas no até então, futuro álbum novo, Rainbow (1999):

Sweetheart (Jermaine Dupri feat. Mariah Carey) – originalmente de Jermaine Dupri;
When You Believe (Mariah Carey & Whitney Houston) – originalmente do filme de animaçaõ “O Príncipe do Egito”;
Whenever You Call (Mariah Carey & Brian McKnight) – versão em dueto;
I Still Believe – regravação;
Do You Know Where You’re Going To (Theme From “Mahogany”) – regravação.

LISTAS DE FAIXAS

#1: Sweetheart (feat. Jermaine Dupri) ¹
#2: When You Believe (duet with Whitney Houston) ¹
#3: Whenever You Call (feat. Brian McKnight) ¹
#4: My All
#5: Honey
#6: Always Be My Baby
#7: One Sweet Day (feat. Boyz II Men)
#8: Fantasy (Bad Boy Remix feat. Ol’ Dirty Bastard)
#9: Hero
#10: Dreamlover
#11: I’ll Be There (feat. Trey Lorenz)
#12: Emotions
#13: I Don’t Wanna Cry
#14: Someday
#15: Love Takes Time
#16: Vision of Love
#17: I Still Believe¹

EDIÇÃO INTERNACIONAL (Sem a faixa I Don’t Wanna Cry)

#1: Sweetheart (feat. Jermaine Dupri)¹
#2: When You Believe (duet with Whitney Houston) ¹
#3: Whenever You Call (feat. Brian McKnight) ¹
#4: My All
#5: Honey
#6: Always Be My Baby
#7: One Sweet Day (feat. Boyz II Men)
#8: Fantasy (Bad Boy Remix feat. Ol’ Dirty Bastard)
#9: Hero
#10: Dreamlover
#11: I’ll Be There (feat. Trey Lorenz)
#12: Emotions
#13: Someday
#14: Love Takes Time
#15: Vision of Love
#16: I Still Believe¹
#17: Without You²
#18: Do You Know Where You’re Going to (Theme from Mahogany) ¹

EDIÇÃO JAPONESA (Sem a faixa I Don’t Wanna Cry)

#1: Sweetheart (feat. Jermaine Dupri)
#2: When You Believe (duet with Whitney Houston)
#3: Whenever You Call (feat. Brian McKnight)
#4: My All
#5: Honey
#6: Always Be My Baby
#7: One Sweet Day (feat. Boyz II Men)
#8: Fantasy (Bad Boy Remix feat. Ol’ Dirty Bastard)
#9: Hero
#10: Dreamlover
#11: I’ll Be There (feat. Trey Lorenz)
#12: Emotions
#13: Someday
#14: Love Takes Time
#15: Vision of Love
#16: I Still Believe¹
#17: Without You²
#18: Do You Know Where You’re Going to (Theme from Mahogany)¹
#19: All I Want For Christmas Is You²

¹ Música inédita
² Inclusa pelo desempenho internacional (Without You é a música de maior sucesso de Mariah na Europa e All I Want For Christmas Is You na Ásia, especificamente, no Japão)

 

DESEMPENHOS

A seguir estão as posições que o álbum alcançou mundialmente nas paradas musicais:

#1: Japão (Oricon Albums)
#1: Malásia (Malaysian Albuns Chart)
#1: Reino Unido (OCC R&B Albums)
#2: França (French Albums Chart)
#3: Suíça (Schweizer Hitparade)
#4: Estados Unidos da América (US Billboard 200)
#5: Espanha (Spanish Albums Chart)
#5: Europa (Top 100 Albuns)
#6: Austrália (Australian Albums Chart)
#6: Áustria (Ö3 Austria Albums)
#6: Bélgica (Ultratop Wallonia)
#6: Canadá (Billboard Albums)
#6: Dinamarca (Hitlisten)
#6: Estados Unidos da América (US Billboard Top R&B/Hip-Hop Albums)
#6: Itália (Hit Parade)
#6: Noruega (VG-lista Albums)
#8: Suécia (Sverigetopplistan)
#9: Finlândia (Suomen Virallinen Lista)
#10: Alemanha (Offizielle Top 100)
#10: Irlanda (Irish Albums Chart)
#10: Portugal (Portugal Albums Chart)
#10: Reino Unido (OCC Albums)
#11: Bélgica (Ultratop Flandres)
#11: Noruega (VG-lista Christmas Period Albums)
#13: Nova Zelândia (New Zealand Albums Chart)
#15: Holanda (MegaCharts)
#15: Hungría (Hungarian Albums Chart)
#26: Escócia (OCC)

Vendas estimadas e certificações:

Estados Unidos da América = 5.000.000 (5x Platina) RIAA³
Japão = 3.600.000 (18x Platina) RIAJ²
China = 1.000.000 SARFT¹
Reino Unido = 750.000 (2x Platina) BPI³
França = 730.000 (Platina) SNEP²
Coreia do Sul = 400.000 (4x Platina) KMCIA
Taiwan = 400.000 RIFT¹
Alemanha = 350.000 (Ouro) BVMI³
Canadá = 350.000 (3x Platina) CRIA³
Coreia = 306.801 (2x Platina)³
Brasil = 250.000 (Ouro) ABPD³
Malásia = 250.000 (10x Platina) RIAM
Itália = 220.000 (3x Platina) FIMI³
Espanha = 150.000 (Platina) PROMUSICAE³
Suécia = 130.000 (Platina) GLF
Austrália = 120.000 (Platina) ARIA
África do Sul = 100.000  (2x Platina) RISA³
Filipinas = 100.000 IFPI¹
México = 100.000 (Ouro) AMPF
Holanda = 80.000 (Platina) NVPI³
Suíça = 70.000 (Platina) IFPI¹
Dinamarca = 62.000 IFPI¹
Singapura = 60.000 (4x Platina) RIAS
Bélgica = 50.000 (Platina) BEA
Grécia = 50.000 (Platina) AGPP
Argentina = 30.000 (Ouro) CAPIF
Áustria = 30.000 (Ouro) VOMC
Nova Zelândia = 30.000 (Platina) RIANZ
Irlanda = 25.000 IRMA³
Noruega = 20.000 (Ouro) NMO
Finlândia = 15.000 IFPI¹
República Tcheca = 10.000 IFPI³
TOTAL CERTIFICADO = 15.408.801
TOTAL ESTIMADO = 19.000.000

¹ Certificações pendentes
² Números desatualizados
³ Números desatualizados e certificações pendentes

 

OS SINGLES

Sweetheart com o amigo e produtor Jermaine Dupri foi lançada como lead single do #1’s em 06 de outubro de 1998 repentinamente. Inicialmente foi gravada apenas para o álbum de JD, mas foi inclusa na compilação de Carey, porém teve uma promoção limitada à Europa e alguns países da Ásia por mudanças nas regras da Billboard nos EUA. Quando o single começou a ganhar forças nas rádios, seu espaço foi perdido rapidamente para o segundo trabalho com Whitney Houston na faixa When You Believe, gravada para o filme O Príncipe do Egito que venceu um Oscar na categoria de melhor canção original. A faixa foi lançada antes mesmo do álbum ser lançado nas lojas dos EUA, em 02 de novembro, chegando ao top 15 na Billboard Hot 100. O terceiro e último single foi a faixa I Still Believe que foi gravada, originalmente, pela cantora Brenda K. Starr mais de dez anos antes de Carey nos agraciar com sua versão lançada em 08 de fevereiro de 1999. O single chegou ao #4 na Billboard Hot 100 nos EUA e mais de 1 milhão de cópias por lá, elevando ainda mais as vendas da compilação #1’s.

SINGLES LANÇADOS

Lead Single (Promocional): Sweetheart (feat. Jermaine Dupri)
Lançamento: 06 de outubro de 1998 (Europa e Ásia)

Single: When You Believe (duet with Whitney Houston)
Lançamento: 02 de novembro de 1998 (Mundo)

Single: I Still Believe
Lançamento: 08 de fevereiro de 1999 (Mundo)


Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.