Mariah Now é a sua maior fonte brasileira sobre a Mariah Carey. O site é totalmente dedicado para os fãs da Mariah. Acompanhe notícias, vídeos, entrevistas, participe de promoções e eventos. Todo conteúdo divulgado no site é criado ou editado por membros da equipe, qualquer conteúdo retirado daqui, mantenha seus devidos créditos. Somos apoiados pela Universal Music Brasil e pela Sony Music Brasil.

Blood Orange

Em recente entrevista para Vulture, Dev Hynes conta como foi o processo de criação e gravação de ‘Giving Me Life’ com a Mariah Carey.

 

Vulture: Como foi o processe de criação de “Giving Me Life” com a Mariah Carey?  Eu acho que Caution é um dos melhores álbuns dela!

Dev Hynes:  Eu também penso assim, pessoalmente, como um fã da Mariah ou como um membro do Lambily. Isso foi uma loucura! Então, alguém estendeu a mão de sua equipe perguntando se eu estava por perto em Los Angeles para trabalhar no projeto. Ao longo dos anos, haveria mensagens como essas sobre certas coisas que nunca aconteciam. Normalmente, o que acontece é que a equipe de alguém pergunta se eu quero trabalhar com quem quer que seja e, em seguida, estou super animada para isso, e eles ficam tipo: “Legal. Nós também assinamos este artista de Londres se você quiser… ”

De qualquer forma, a equipe  da Mariah veio me procurar e foi uma coisa louca. Fui ao estúdio e, se bem me lembro, nem sequer fizemos música nas primeiras três horas. Nós apenas ouvimos música. Seu conhecimento musical está fora de controle. É outro planeta do conhecimento musical. Ela é uma cantora que não recebe crédito suficiente por ser uma compositora incrível e por saber o que sabe sobre como fazer bons discos. Eu acho que muitas pessoas acreditam que ela só pega o material e canta. Não, não, não. Tudo está escrito na sala. Eu estava sentado em um piano e ela sentada ao meu lado. Nós escrevemos essa música. Até o som da caixa era ela me dizendo que som de caixa ela queria. Até os samples! Eu falo muito sobre coisas sobre o sample na minha música, e acho que as pessoas provavelmente pensam que fui eu, mas era ela. Ela conhece cada palavra para vir para a América. Ela literalmente falou dos samples para mim, e quando eu fui e encontrei, era literalmente incrível. É uma música um pouco do que está tocando agora, e eu acho que as pessoas achavam que as partes externas eram minha influência quando não eram.

Você sabia que Slick Rick estaria no álbum, ou você descobriu mais tarde?

Dev Hynes:  Bem, o engraçado é que no primeiro dia, quando tivemos o ritmo, ela continuou me dizendo: “Isso seria incrível com Slick Rick nele.” Ela disse que ele era seu rapper favorito quando ela criança em Nova York. Então, quando Slick Rick eventualmente apareceu, eu fiquei tremendo pensando: “Merda, isso é verdade! Eu não estou nem acreditando que estou aqui no meio desses dois!”

Um momento único em Nova York, dahlings! Mariah Carey tomou comta do Radio City Music Hall na noite de segunda-feira (25 de março) com sua Caution World Tour e convidou Slick Rick e Blood Orange para participar da faixa favorita dos fãs “Giving Me Life” ao vivo pela primeira vez.

“Nós só fizemos isso uma vez na passagem de som então…o que poderia ser melhor?” Mimi brincou enquanto usava um vestido preto de néon feitos de luzes LED brilhantes. “Mas esta é uma das minhas favoritas do álbum, e eu sei que muitos Lambs disseram que é a favorita deles também, então vamos ir direto ao assunto”.

Na metade da música, Slick Rick passeava no palco com um enorme terno branco e seu tapa-olho exclusivo para entregar seu verso enquanto a plateia lotada ia à loucura. Blood Orange também se juntou à eles para tocar guitarra.

Mais tarde no show, Slick Rick também apresentou uma versão solo de “La Di Da Di”, sua colaboração de 1985 com Doug E. Fresh, enquanto Carey fez uma troca de figurino, retornando ao palco para cantar seus sucessos “My All”“Vision Of Love” e um medley batizado de #JusticeForGlitter.

Confira abaixo o registro feito por um fã:

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.