Mariah Now é a sua maior fonte brasileira sobre a Mariah Carey. O site é totalmente dedicado para os fãs da Mariah. Acompanhe notícias, vídeos, entrevistas, participe de promoções e eventos. Todo conteúdo divulgado no site é criado ou editado por membros da equipe, qualquer conteúdo retirado daqui, mantenha seus devidos créditos. Somos apoiados pela Universal Music Brasil e pela Sony Music Brasil.

Dick Clark Productions

Desta vez, não houve erros. E também não tinha chá quente, mas oi? poderia ter sido pior, poderia ter sido como no ano passado.

Usando um casaco de pele branco, brincos longos e um vestido dourado bem brilhante, Mariah Carey subiu ao palco da Times Square para fechar 2017, um ano depois de uma performance desastrosa que pode ser candidata a uma das piores apresentações ao vivo na televisão americana, ao lado de Janet Jackson no Super Bowl em 2004.

Desta vez, o desempenho da Sra. Carey não apresentou os dançarinos de apoio do ano passado. Havia uma coreografia mínima, já que ela permaneceu na maior parte de um local no palco durante uma noite frígida na cidade de Nova York. Ela começou um conjunto de duas músicas às 23:38 com “Vision of Love”, seu primeiro single, lançado em 1990. Antes de sua segunda música – “Hero”, de 1993 – parecia que tudo não estava bem do ponto de vista da Sra. Carey. Ela queria o chá dela, sim ela queria isso então.

“Feliz Ano Novo!”, Disse Carey, dirigindo-se à multidão. “Só quero tomar um gole de chá se eles me deixarem. Eles me disseram que haveria chá. Ah! É um desastre, mas está bem, teremos só que resolver isso. Eu serei como todo mundo, sem chá quente. Mas vou tentar e fazer isso por vocês “.

Mesmo sem o chá, o desempenho da Sra. Carey foi incrível e não teve nenhuma falha – uma melhora em relação ao ano passado. Depois que a bola caiu à meia-noite, ela foi vista no palco da transmissão ABC, cantando junto em coro com multidão “New York, New York”, de Frank Sinatra, que estava falando sobre alto-falantes. Minutos depois, ela fez uma breve entrevista para Ryan Seacrest, anfitrião das festas da noite para Dick Clark Productions.

“Bom, estou me sentindo muito melhor do que no ano passado, quando tive que pegar minha escolta policial para ir embora”, disse Carey, depois que o Sr. Seacrest perguntou como estava sentindo.

O desempenho do ano passado, um conjunto de três músicas, foi um abcesso, o desastre do nível da lei de Murphy. A Sra. Carey começou seu set com o brilho que se poderia esperar de uma estrela pop – novamente usando um casaco de pele e cercado por homens segurando penas. Depois de uma interpretação impecável (e aparentemente lábio-sincronizada) de “Auld Lang Syne”, os problemas começaram quase que imediatamente com “Emotions”, o hit de 1991 da Sra. Carey.

Em segundos, em vez de cantar a música, ela ordenou que seus dançarinos “me acompanhem pelo palco”, referindo-se a passos no palco. E então ela desejou que a multidão ficasse feliz ano novo em vez de cantar o verso. A estranheza aumentou exponencialmente a partir daí, enquanto a Sra. Carey estava no palco sem cantar, falando algumas coisas para o público como, “Nós não tivemos uma verificação de som, mas é Ano Novo, baby, tudo bem, vocês,” e “Eu estou tentando levar na esportiva por aqui”. “Ela repetidamente se queixou de não poder ouvir seu ponto ou ler o monitor.

Mas desta vez, ambos (a produção e Mariah) entraram em acordo para não repetirem o mesmo erro. A Sra. Carey, pessoalmente, fez o soundcheck com antecedência as horas antes do desempenho.

E ela arrasou. Em um ato de redenção de cultura pop para a televisão, o desempenho da Sra. Carey chegou até a linha de chegada, exceto pelo desejo de chá quente, com exito. Em um frio de -7°, quem poderia culpá-la? Depois que “Hero” terminou, a câmera voltou para Mr. Seacrest.

“E é por isso que ela é Mariah Carey”, disse Seacrest.

Fonte: NY Times

Mariah Carey tornou-se a atração principal do tradicional programa de fim de ano, o Dick Clark’s New Year’s Rockin’ Eve com Ryan Seacrest.

O especial vai ao ar antes da virada do ano, no qual a bola da Times Square em Nova York, EUA chega à base à 00h, marcando a virada de um ano para o outro. Como forma de celebração deste grande momento, vários artistas fazem suas performances ao vivo para milhões de pessoas e, a última edição foi arrebatadora com grandes momentos.

Durante os trinta minutos finais de 2017, o programa teve seu maior público: 25,6 milhões de telespectadores – maior audiência registrada que todos as edições de entrega do Grammy, ou seja, Mariah Carey foi assistida por milhões de pessoas, um verdadeiro recorde para a dona de tantos.

Mariah Carey na Times Square em Nova York na virada de 2017 para 2018. Foto: Taylor Hill.

Desde setembro de 1991 não era registrado um número tão grande de telespectadores ao vivo (quando a Nielsen começou seus registros eletrônicos). Agora fica para este ano a expectativa de um novo recorde, mas quem será que vai cantar antes da bola descer e marcar a virada de um novo ano?


Fontes: Nielsen via TVLine e PMC/Deadline
Colaboração: Dino-Ray Ramos e Matt Webb Mitovich

Mariah Carey não começou o ano passado muito bem após passar por problemas técnicos em sua apresentação de ano novo na Times Square em Nova York na virada de 2016 para 2017. Ela foi muito criticada por pessoas do mundo todo, tendo sua credibilidade abalada e sua imagem bem manchada por comentários negativos e opiniões tendenciosas dentro e fora da mídia (como se ela fosse a culpada). O que o mundo esqueceu foi da grande artista que Mariah Carey sempre foi, principalmente, da incrível arte de se reerguer que ela sempre mostrou ter. Uma artista que venceu preconceitos, a pobreza e a indústria musical, tornou-se a maior artista feminina de todos os tempos pelo seu alcance e potencial vocal, pelos seus hits e por suas incríveis vendas de singles e álbuns em todo o planeta, não seria morta por uma apresentação com sinais de boicote. Infelizmente o mundo é muito cruel, ainda mais com artistas de longa data como Mariah Carey, Céline Dion e Madonna que não são tão bem queridas pelas rádios como antes. Mimi se viu diante de uma nova missão: provar que canta ao vivo. Mas por que ela ainda teria que provar isto sendo que tantos artistas usam bases pré-gravadas ou só dublam, mas não perdem a credibilidade? Por que ela faz parte da trindade vocal ao lado de Whitney Houston e Céline Dion? Por que ela é uma das maiores influenciadoras do R&B? Por que ela sempre esteve no topo das paradas? NÃO! Ela sempre teve que provar que canta, pois ela influenciou uma geração a cantar desde seu primeiro singleVision of Love‘, bem como sempre foi conhecida pela sua voz versátil, potente e angelical. Claro que nada justifica as críticas duras que ela recebeu, mas Mimi é uma artista ativa e forte, ainda faz música e quer voltar ao mercado com um álbum novo que, de acordo com a Forbes, é um dos mais aguardados deste ano, então como lançar algo com a imagem ruim por menos culpa que ela tenha? Ela voltou à luta.

Em janeiro de 2017 depois de um show privado em Londres, Mimi preparou-se para lançar uma nova música. Mariah lançou um buzz single com o rapper YG (I Don’t) ao final do Mariah’s World exibido pelo canal E! e lançou uma versão remixada da faixa com a rapper Remy Ma. Infelizmente não houve uma promoção que levasse a música a um nível alto de performance na parada americana, mas a música chegou ao #89 da Billboard Hot 100 nos EUA. Ela fez uma performance com o rapper na TV americana depois de cantar ‘Vision of Love‘ e a versão sozinha da música em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, onde também cantou a regravação de ‘One More Try como homenagem a George Michael pela primeira vez (a música faz parte da lista de faixas do álbum Me. I Am Mariah…The Elusive Chanteuse de 2014). Antes de retornar a Vegas, MC realizou um show em Baku, no Azerbaijão após o Grande Prêmio de F1.

Logo ela retornou a Las Vegas para a sua última temporada de shows com a residência Mariah #1 to Infinity no The Colosseum no Caesars Palace. Em seguida embarcou com Lionel Richie em uma turnê realizada em arenas, a All The Hits Tour, apresentando-se antes de Mr. Richie (Mimi o chama desta forma com muito respeito e carinho), passando por 22 cidades sendo 19 nos EUA e 3 no Canadá.

Em meados da turnê, Mimi teve suas colaborações com French Montana lançadas em duas versões, sendo uma acústica, presenteando aos lambs com mais uma música e dando a Montana reforço comercial ao single original ‘Unforgettable‘ que chegou ao top 5 na Hot 100.

Na sequência, Mariah apresentou-se em Mashantucket, EUA e anunciou sua primeira turnê natalina, a All I Want For Chritsmas Is You Worldwide Tour que chegou a 11 apresentações, sendo 3 no Beacon Theatre em Nova York, EUA, 1 em Paris na França, 2 no Reino Unido, sendo um em Manchester e um em Londres, além de 5 datas no Caesars Palace em Las Vegas, EUA.

Logo após o anúncio, foi divulgada a assinatura de Carey com a Roc Nation (empresa de Jay-Z) como sua nova agência de carreira, o fim da gestão de Stella Bulochnikov e dois anos de residência com shows mais intimistas no The Venetian Las Vegas, um casino premiado pela Forbes Travel Guide em 2016. Mariah ainda apresentou-se na festa de comemoração dos 30 anos da AHF em Los Angels, EUA, uma das entidades mais respeitadas do mundo.

Até então, muitos feitos para quem foi “dada” como acabada e de carreira enterrada, mas estamos falando de Mariah Carey, uma verdadeira heroína que canta sua verdade até mesmo no natal, sua época preferida. A rainha do natal (ela não gosta do título, mas os fãs amam) voltou às paradas mundiais com seu super hit natalino chegando ao #1 no Spotify dos EUA, Reino Unido e Global, #3 na iTunes Mundial e registrando novas posições na iTunes americana, chegando ao #7 (chegou ao #11 em 2017) e #9 na Billboard Hot 100 dos EUA (seu pico era #11). 23 anos depois, ‘All I Want For Christmas Is You‘ não bastava ser o mais novo top 10 de Mimi (o último foi Obsessed que chegou ao #7 em 2009) nos EUA, voltou ao #2 na parada de singles britânica (o pico do single à época de seu lançamento em 1994) e fechou a véspera de natal com mais de 8 milhões de execuções pelo Spotify no mundo todo.

Mariah ainda lançou mais músicas como ‘The Star‘, tema da animação The Star (A Estrela de Belém – título do filme animado no Brasil) que é uma das nomeações ao Globo de Ouro de melhor canção original e ainda incluiu ‘Lil Snowman‘ como uma das faixas da trilha da animação ‘Mariah Carey: All I Want For Christmas Is You“, lançada em DVD e Blu-Ray, animação que rendeu à Mariah Carey o prêmio de reconhecimento “Angel for Animals” da PETA por promover a adoção de animais e destacar a responsabilidade de cuidar de um cachorro.

Então veio a grande notícia: Mariah Carey voltaria à Times Square para se apresentar na virada de 2017 para 2018!

Ela voltou, mas voltou dignamente maravilhosa e radiante. Com o tempo frio (-12° C) e com o mundo inteiro de olho em sua performance (alguns esperando um novo desastre), na dúvida de seu potencial, de sua voz, de sua capacidade de cantar ao vivo, Mimi foi anunciada por Ryan Seacrest 15 minutos antes de 2017 terminar como a atração principal do programa 2018 Dick Clark’s New Year’s Rockin’ Eve with Ryan Seacrest pela ABC. Ela brilhou e muito. Mariah Carey fez acontecer, fechou o seu ano cheio de vitórias e conquistas com uma performance linda de dois grandes hits mundiais: Vision of Love, conhecida e reconhecida com uma das músicas com mais melismas de todos os tempos e Hero, o tema de Carey no mundo todo. Uma paradinha em Vision of Love como um sinal de deboche fez muita gente pensar que ela iria falhar de novo, mas tudo foi muito bem cuidado e ensaiado para que ela executasse bem o seu primeiro single apesar do frio (que pode ter congelado um pouquinho a diva) e na sequência confortasse o mundo com carinho e amor ao som de Hero que é a assinatura de Mariah Carey onde ela vai (um show da Mariah Carey sem Hero não é um show da Mariah Carey).

Mariah foi notícia no mundo todo mais uma vez, mas de forma justa, sendo reconhecida e aclamada, inclusive pela Billboard que a intitulou “Queen“! De fato ela é mesmo a rainha de todos nós, lambs ou não, ela é Mariah, a cantora indescritível que sabe voltar ao topo e emocionar corações com sua voz. Muitos ainda continuarão maldizendo seu nome, desmerecendo seus feitos, sua voz, sua música, mas os fatos estão aí, os recordes provam sua relevância, os charts e os prêmios dizem quem é Mariah Carey, então deixem a rainha fazer o que ela sabe fazer: reinar!

BALANÇO TOTAL:

-> 48 shows (incluindo as performances de ano novo e no Jimmy Kimmel)
-> 6 músicas novas (incluindo o remix de I Don’t e as duas versões de Unforgettable)
-> 3 temporadas de shows, sendo 2 turnês (33 shows) e 1 residência (6 shows)
-> 2 prêmios recebidos
-> 2 animações natalinas

-> 1 indicação ao Globo de Ouro
-> 1 música no top 10 dos EUA e do Reino Unido

Desejamos a todos um incrível 2018 com muitas realizações e conquistas.
Siga-nos pelo Facebook (@mariahnowbr), Twitter (@mariahnow) e Instagram (@mariahnow) e fique por dentro de tudo.

Mariah Now Team

Mariah Carey está de volta ao palco do New Year’s Rockin’ Eve após o incidente ocorrido na virada do ano de 2016-2017.

A cantora, que sofreu problemas técnicos durante sua apresentação no ano passado, voltará ao palco do especial “New Year’s Rockin’ Eve” no mesmo horário, às 23:45 da noite, sendo a última apresentação antes da virada do ano.

Desta vez, é espero que ela faça uma produção maior, seguindo a sua linha de shows de Las Vegas, com uma banda completa e dançarinos. A empresa Dick Clark Productions que fez o convite a Carey, pedindo para ela retornar ao palco do evento este ano para se redimirem do incidente ano passado, ela, que agora está sendo agenciada pela Roc Nation, aceitou o convite sem hesitar, disse uma fonte.

Outras apresentações acontecerão na virada do ano da ABC, Camila Cabello, Nick Jonas e Sugarland, e até Britney Spears, que gravará uma apresentação direto de sua residência em Las Vegas.

Fonte: Variety

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.